1º Dia da Novena de Aparecida 2018

551

Com Maria e Jesus, obedecemos à vontade do Pai!

“O povo de Deus é santo em virtu­de da unção espiritual, que o torna infalível ‘in credendo’. Deus dota a totalidade dos fiéis com um instinto da fé-o sensus fidei – que os ajuda a discernir o que vem realmente de Deus” (Doe. 105 CNBB, n. 112).

  1. Acolhida

(Procissão de Entrada)

  1. Saudação Litúrgica

P.: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. – Amém!

P.: Irmanados no mesmo amor do Pai, iluminados pelo Espírito Santificador e dispostos a acolher o que nos vem do Cristo, nosso Redentor, iniciamos este momento sublime de louvor e gratidão, bendizendo à Mãe do Salvador, escolhida do Pai desde sempre e para sempre. – Bendito seja o Senhor, nosso Deus, que se achega até nós com seu amor. Amém!

  1. Contemplando Maria

(Entronização   e   incensação   da Imagem. Logo após, fazem-se a contemplação e a recordação da vida que seguem. Durante a incen­sação da imagem, silêncio orante.)

P.: Maria, ao pronunciarmos vos­so Nome bendito, um sentimento profundo de paz, de alegria e de confiança

  penetra, profundamente, nosso ser, nossa vontade e nosso querer!

L: Contemplando vossa vida, sen­timos pulsar forte nosso coração, pois vós cumpristes a vontade di­vina, e Deus sempre ocupou em vós o primeiro lugar.

Obediente ao Senhor, seu povo saberá alegrar-se em cada dia, com o auxílio de seu amor!

L: Fiquei a contemplar, ó Maria, os lírios dos campos, com sua be­leza e formosura, e me lembrei do dia em que Jesus falou que, se as­sim é revestida a erva do campo,

   quanto  mais  não será cada criatura nascida no amor do Pai, eterno e sem-fim!

L: Ó Maria, despertai em nosso ser um pouco mais de ternura, de bondade e docilidade, para vencermos tanta violência e maldade, que entristecem tanta gente, tan­tas famílias,

de todos os povos e nações, de todas as raças e culturas.

P.: Elevemos neste dia nossa alma ao céu, e o Senhor abrirá nossos olhos e nos fará redescobrir tanta beleza escondida em nós, a nossa volta e em nossa família. Há uma riqueza em nós, que é o sacerdó­cio batismal, que faz dos cristãos leigos tesouros do Reino de Deus.

É pérola preciosa se Deus ocu­par em nós o primeiro lugar! Amém!

Recordando a Vida e os fatos MENINA: Era o ano de 1978, no dia 16 de maio. O dia foi belo, pois os ro­meiros, cheios de amor no coração, participaram dos acontecimentos religiosos daquele dia. Era a última missa do dia, e o Pé. Antonio Lino Ro­drigues celebrava piedosamente. Foi triste o fato, mas aquele rapaz, num momento de insanidade e pertur­bado, quebrou o vidro do nicho de Nossa Senhora e, com a imagem em suas mãos, deixou-a cair ainda no espaço da sacristia. Todos correram pressurosos, sem ainda entender o que se passara. Pé. Lino, porém, num momento de inspiração, jun­tou e não deixou se perder nenhum dos mais de duzentos fragmentos da imagem querida, pescada no rio Pa­raíba, nos idos 1717.

MENINO: Ó Mãe querida, não deixai que as pessoas fragmenta­das fiquem sem sentido na vida; dai-lhes vosso amor e levai-as

para junto de Jesus, para que se sintam felizes. Amém.

  1. Louvores a Maria

P.: Maria, incomparável criatura, que soube compreender o que veio das alturas,

nós vos louvamos, pois sois a escolhida do Pai, Mãe de Cristo e nossa Mãe!

P.: Feliz o povo que sabe com­preender o jeito de Maria, primei­ra leiga da Igreja,

pois descobre seu Jesus, como luz, como vida e redenção! P.: Estendei, ó Mãe, vossas mãos e acolhei o que trazemos no cora­ção e vos apresentamos com hu­mildade. Escutai-nos, ó Mãe ben­dita do Redentor.

Ó Virgem e Mãe tão amável. Maria, clamamos a vós!

Ó Santa e Mãe obediente.

Dai-nos vosso amor maternal. Lá no céu, rogai a Deus por nós!

Guardai e protegei vosso povo. Maria, clamamos a vós!

Conservai-o na união e na paz.

Ao Pai fazei-nos obedientes. Lá no céu, rogai a Deus por nós!

Ó Virgem e Mãe dos cristãos. Maria, clamamos a vós!

Da terra somos sal e luz.

Guardai e protegei o Laicato. Lá no céu, rogai a Deus por nós!

P.: Rogai por vosso povo, ó Mãe de Jesus e filha predileta do Pai, beleza indizível e benefício mise­ricordioso.

Subam aos céus nosso louvor e gratidão a Deus, que nos deu Ma­ria por nossa Mãe do Céu. Amém.

P.: Maria, vós nada temestes e, no silêncio de vosso coração, escutá­veis o que Deus vos dizia.

Feliz quem guarda o que lhe diz o Senhor!

P.: Os pequenos para o mundo são grandes para Deus. Assim fostes vós, ó Maria, pois em tudo obedecestes a Deus.

Nada pode mudar vossa inten­ção, nem mesmo a dura profecia de Simeão!

P.: Fazei-nos, Senhor, fiéis colabo­radores de vosso Reino, como Ma­ria, como João Batista e Simeão, como todos que em vós coloca­ram seu coração.

  Ó Palavra bendita, que vamos escutar, seja como a chuva a fe­cundar nossa vida e nosso cora­ção. Amém!

(Acolhimento da Palavra do Senhor)

Cântico à PALAVRA DO SENHOR

– Anúncio – Apresentação no Templo Lc 2,27-32.34-35

Movido pelo Espírito, Simeão dirigiu-se ao templo e, quando os pais levaram o menino Jesus para cumprirem as prescrições da lei a seu respeito, ele o tomou nos braços e louvou a Deus, dizendo:

“Agora, Senhor, podeis deixar ir em paz vosso servo, confor­me vossa palavra, porque meus olhos viram vossa salvação, que

preparastes diante de todos os po­vos, luz para iluminar as nações e glória de Israel, vosso povo”.

Simeão os abençoou e disse a Maria, sua mãe: “Este menino vai causar a queda e a elevação de muitos em Israel; ele será um sinal de contradição; a ti própria, uma espada te traspassará a alma, para que se revelem os pensamentos de muitos corações”. – Palavra da Salvação.

Glória a vós, Senhor!

(Mensagem)

  1. Compromisso Solidário

P.: Ó Deus, quanto ensinamento de vida nos traz Maria, escutando em silêncio a dura profecia de Simeão. Ela pensava no povo de agora, sem casa e sem pão,

menosprezado pelos grandes que se acham donos da terra, do­nos do céu!

L.: O menino pobre clamou pelo pão, enquanto chorava a pobre menina explorada pelos covardes e sem coração. Ainda a família que foi despejada só encontrou abrigo debaixo da ponte, sem qualquer proteção.

Enquanto houver ganância e corrupção, haverá irmãos cho­rando de fome, suplicando um pedaço de pão!

L Um famoso caiu, e todos falaram o que havia ocorrido. O pai cultivou o trigo, mas, na hora da partilha, não o convidaram para comer um pedaço de pão e foram receber Je­sus em comunhão. Enquanto hou­ver divisão, ganância e separação,

  não podemos comungar, pois ainda não somos irmãos! Como cristãos, temos de mudar tal si­tuação!

P.: É belo e tocante, Senhor Deus, ver o silêncio de Maria ouvindo a dura profecia de Simeão. Como Mãe bendita que é, pensava em cada um de nós, como uma Igreja participativa e comprometida com a realidade da vida.

Ajudai-nos, ó Maria, a ser uma Igreja viva e comprometida com a vida. Amém!

(Procissão da Caridade — Oferta dos Alimentos)

  1. Por Maria a Jesus

L: Maria, vós sois discípula amada e nos conduzis a Jesus, no qual en­contramos a vida e a paz esperada.

  Conduzi-nos, ó Maria, a Jesus, vosso Filho, e conservai-nos na fraterna comunhão!

L: Maria, esse povo que vos louva também vos ama e diz com alegria: “Como é bela a Mãe de Jesus”!

Ajudai-nos, Maria, a viver como Jesus viveu e amar como nos amou!

L: O Sim de Maria nos trouxe Je­sus, o Filho de Deus encarnado entre nós. Mas também nos deu a Eucaristia, que é o mesmo Jesus, tão vivo e tão real, Amigo dos po­bres e com amor sem igual.

  Vinde, Senhor, nosso Reden­tor, Caminho da vida, Pão vivo e verdadeiro, nossa paz e salvação! Amém!

(Acolhimento, Exposição e Adora­ção do Santíssimo)

  1. Diante de Jesus, Pão da Vida

P.: Bom Pastor, Pão da verdade, tende piedade de nós. Conservai–nos na unidade,

extingui a orfandade e conduzi­mos ao Pai!

P.: Conservai na alegria os que co­mungam o Pão do Céu e dai-nos, em cada dia,

  a força que nos transforma e muda o coração para o bem e a união!

P.: Aos mortais dando comida dais também o Pão da vida:

que a família assim nutrida seja reunida aos convivas lá no céu! Amém!

  1. Bênção do Santíssimo

(Cântico “Tão Sublime”, p. 3)

  1. Caminhando com Maria

P.: Rogai por nós, ó Senhora Apare­cida, Mãe obediente e servidora fiel,

  para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

P.: Maria, não são poucos os que consagraram suas vidas em favor da vida, foram obedientes aos desígnios divinos e se tornaram luzeiros no mundo. Vós, que sois obediente ao Pai e escutai vosso Filho, ajudai-nos ser no mundo a flor do trigo, que triturado se tor­na pão da vida e do altar.

Com o coração agradecido, nós nos consagramos a vós, para ser­mos também obedientes ao Pai. Amém!

(Consagração a Nossa Senhora, p. 6)

  1. Oferta das Flores

L: ó Maria, quem não se encanta diante da brandura de uma crian­ça e da pureza fascinante de uma flor? A violência amarga a vida, e o desamor entristece e desencanta.

Maria é a beleza de Deus e es­pera que sejamos jardins floridos, obedecendo ao Senhor da vida!

L: Como os braços de uma mãe, que não se cansa de apoiar e car­regar sua criança, assim é Maria com suas mãos estendidas a nos apoiar no caminho de Jesus.

  As mãos que carregam flores são fortes e destemidas, derro­tam a violência e constróem a vida!

L.: Acolhei, ó Maria, as flores que vos trazemos com amor e alegria, e fazei brilhar, em cada dia de nossa vida, a esperança da vida, da justiça e de um mundo sem violência, mal­dade, divisão e separação. -Assim seja, ó Mãe, agora e para sempre! Amém!

  1. Envio Missionário

P- Sejam obedientes ao Senhor e proclamem suas maravilhas no meio de nossa sociedade necessi­tada de vida e de paz. -Amém.

P.: Conforme sua vida ao Evange­lho de Cristo e ao jeito e às virtu­des de Maria. -Amém.

P.: A você que hoje rezou e se en­cantou com a presença do Senhor e de Maria: que o caminho seja bran­do sob seus pés e a brisa da manhã sopre leve sobre sua vida… Que o sol brilhe forte, dissipe toda treva e ilumine seus caminhos… Que as chuvas caiam serenas e fecundem os campos e as florestas… O Senhor o envolva no abraço de seu amor misericordioso, guarde-o na palma de suas mãos, como uma criança recém-nascida, e o abençoe rica e poderosamente, em tudo e sempre. – Amém. Aleluia, agora e para sempre. Amém.

(Homenagem do povo – Entrega das Flores)