As 7 chagas de Jesus

1993

Até hoje ainda não entendi porque sempre se referem às cinco chagas de Jesus quando na realidade são sete. Por que não se explica isso?

A crucifixão foi criada entre os caldeus como punição desumana e atroz; e objeto onde era realizado o suplício foi criado em homenagem ao deus Talmuz – deus dos Sumérios – derivando-se daí o nome do símbolo Tau.

A cruz é composta de duas hastes: uma vertical, denominada stepes que permanecia fixada ao chão no local da execução, com um encaixe para receber a outra parte; e a horizontal, que o condenado transportava por cima dos ombros, fixada nas mãos através de cordas. É chamada depatibulumCom um peso de aproximadamente 50 quilos, esse tronco de madeira machucou muito os dois ombros de Jesus, principalmente nas quedas, quando ele não tinha uma maneira de defender-se, porquanto estava com as mãos atadas. Chagas feridas e abertas, de onde escorria sangue.

Chegando ao local da execução o condenado era despido e pregado pelos pulsos no patibulum, com cravos muito grandes. Após este procedimento realizado no chão, o patibulum era erguido e colocado sobre o stepes. Aí utilizava-se apenas um cravo para os pés, já que eram colocados um sobre o outro.

Às vezes o tormento demorava vários dias. Jesus resistiu – segundo o evangelista Marcos – cerca de seis horas. Das 9h da manhã às 3 da tarde. Deu a vida por nós e nos deixou as marcas do seu sofrimento em 7 chagas: uma em cada mão; uma em cada pé; a chaga do peito aberto; e as duas chagas dos ombros.

Jesus, pelas tuas 7 chagas, tende misericórdia de nós, pobres e renitentes pecadores.

Paz e Luz

Antonio Luiz Macêdo

 

Leia mais obras do autor:

Conta-gotas Do Dia a Dia (no final da página)

___________________________

Antonio Luiz Macêdo