Deus sofre a morte

380

Sexta-feira Santa da Paixão do Senhor

Pense hoje, neste dia sombrio, nas palavras finais de Jesus. As escrituras registram sete últimas declarações, ou as “Sete Últimas Palavras”. Tome cada frase e gaste tempo com ela. Busque o significado espiritual mais profundo para sua vida.

“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.”

O perdão de Jesus pelos outros foi radical e até certo ponto nunca visto antes. Enquanto pendurado na cruz e suportando a crueldade dos outros, Jesus falou palavras de perdão. Ele os perdoou no meio de sua perseguição.

O que é mais é que Ele até reconheceu que aqueles que O crucificaram não eram totalmente responsáveis. Eles claramente não sabiam o que estavam fazendo. Este humilde reconhecimento de Jesus mostra a profundidade de Sua terna misericórdia. Ele revela que Ele não morreu em raiva ou ressentimento, mas em sacrifício voluntário.

Podes dizer essas palavras? Você pode lembrar da pessoa que o feriu e orar para que o Pai os perdoe? Deixe julgamento para Deus e ofereça misericórdia e perdão.

“Eu garanto a você, hoje você estará comigo no paraíso.”

Que consolo deve ter sido para o bom ladrão ouvir essas palavras. Ele deve ter experimentado um certo desespero na vida naquele momento, enquanto ele, ao lado de Jesus, estava morrendo em uma cruz. Que presente era estar ao lado do Salvador do Mundo, compartilhando os sofrimentos de Cristo de uma maneira tão real. E este homem teve o privilégio de estar entre os primeiros a receber este dom de salvação conquistado por Jesus na cruz.

Jesus nos oferece a mesma garantia. Ele oferece a salvação para nós a partir de hoje. E Ele nos oferece no meio do nosso próprio sofrimento e pecado. Você pode ouvi-lo oferecer-lhe este dom de misericórdia? Você pode ouvi-lo convidá-lo a compartilhar seu dom de vida eterna? Deixe que Ele fale este convite para você e deixe a vida eterna do paraíso começar a se apossar mais profundamente hoje em sua alma.

“Mulher, eis o teu filho.”

Que presente! Aqui, morrendo na cruz, Jesus confiou sua própria mãe a João. E ao fazê-lo, Ele confiou a ela a cada um de nós. Nossa união com Jesus nos torna membros de sua família e, portanto, filhos e filhas de sua própria mãe. Nossa Mãe Santíssima aceita esta responsabilidade com grande alegria. Ela nos abraça e nos mantém próximos.

Você aceita a mãe de Jesus como sua própria mãe espiritual? Você se consagrou totalmente a ela? Fazer isso o colocará sob o manto de proteção e amor.

“Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste?”

Jesus não foi abandonado, mas permitiu-se sentir e experimentar essa completa perda do Pai em Sua natureza humana. Ele sentiu a profunda experiência do desespero. Ele permitiu-se conhecer e experimentar os efeitos do pecado. Portanto, Ele sabe o que passamos quando nos desesperamos. Ele sabe como é. E Ele está lá conosco nessas tentações, permitindo-nos continuar com qualquer desespero em direção à total fé e confiança no Pai.

“Tenho sede.”

Que declaração significativa. Ele teve sede fisicamente naquele momento pela água para saciar sua desidratação. Mas mais do que isso, Ele teve sede espiritual pela salvação de todas as nossas almas. O espírito de Jesus ainda anseia por esse presente de salvação. Ele deseja nos chamar de Seus filhos. Ele tem sede do nosso amor.

Pondere Jesus dizendo estas palavras para você. “Eu tenho sede de você!” Ele diz. É uma sede profunda e ardente por seu amor. Você sacia a sede de Jesus devolvendo esse amor. Sacie sua sede nesta sexta-feira santa dando-lhe seu amor.

“Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito.”

Estas são as palavras que precisamos orar mais do que qualquer outra. Estas são as palavras de completa entrega a Deus. A oração é basicamente uma coisa. É sobre a rendição. É sobre confiança. Diga estas palavras repetidamente hoje e deixe esta entrega perfeita de Jesus também ser sua rendição.

Entregar significa que Deus está no controle. Significa que nós abandonamos nossa vontade e escolhemos somente a vontade de Deus. E isso significa que Deus compromete-se a aceitar nossa rendição e nos guiar para o plano perfeito que Ele tem em mente para nós.

“Tudo está consumado.”

É significativo que Ele tenha dito “Está consumado” como Suas últimas palavras. O que isto significa? O que está acabado?

Esta declaração espiritual de Jesus é aquela que afirma que sua missão de redenção do mundo inteiro é cumprida. “Isto” refere-se ao Seu perfeito sacrifício de amor oferecido por todos nós. Sua morte, que comemoramos hoje, é o sacrifício perfeito que tira os pecados de todos. Que presente! E que sacrifício Jesus suportou por nós!

Estamos acostumados a ver esse sacrifício na cruz. Nós ponderamos esse sacrifício toda vez que olhamos para o crucifixo. Mas é importante notar que nossa super familiaridade com a Cruz pode nos tentar a perder de vista o sacrifício. É fácil perdermos o que Jesus realmente fez por nós. Ele realizou o ato que nos salva e agora está oferecendo isso para nós. Deixe este ato completo da Divina Misericórdia penetrar em sua alma. Ele deseja dizer que Seu sacrifício “terminou” seu trabalho em sua alma.

Então, hoje, nesta sexta-feira santa, seria bom se passássemos o dia refletindo sobre a realidade do sacrifício de Jesus. Tente entender como foi para o próprio Deus sofrer e morrer. Contemplem como era para o próprio Deus, o Criador de todas as coisas, ser morto pelos que Ele criou, para sofrer nas mãos daqueles a quem Ele amava com um amor perfeito.

Compreender o amor sacrificial de Jesus nos permitirá amar como Ele fez. Isso nos permitirá amar aqueles que nos magoaram e aqueles que nos perseguem. Seu amor é total. É generoso além da descrição.

Senhor, eu sei que você tem sede da minha alma. Você terminou o que você começou morrendo na cruz para minha salvação e a salvação do mundo. Ajuda-me a compreender o teu amor e a aceitá-lo na minha vida. Me ajude a perdoar. Ajude-me a convidá-lo para a minha própria escuridão e pecado. Ajude-me a abandonar tudo para você. Eu Te agradeço, querido Senhor sofredor, pelo dom do Teu Precioso Sangue, derramado pela salvação do mundo. Jesus eu confio em vós.