Encontro de Perseverança: Desafios

266
Encontros de perseverança

-Dinâmica 1: ovo

-Peça para que peguem papéis sulfite e caneta/lápis

Na caminhada catequética vamos percebendo que, com o sim, vêm exigências essenciais para bem servir: compromisso, pontualidade, assiduidade, maturidade humana, engajamento com a comunidade, planejamento, testemunho de fé e formação humana, rejeitar o pecado, ser espelho na vida das pessoas. Surgem também desafios na convivência da escola, amigos, vida, família, conflitos com nós mesmos.
Nós cremos que o Deus a qual servimos é um Deus de desafios.

Para Deus não existe derrota, desistência, em seu vocabulário não existe a palavra retroceder, desistir, não agüento mais, vou parar, vou voltar, pelo contrario, Deus diz em Hebreu que não tem prazer naqueles que retrocedem.

Nesses dias a Igreja é levada a desafiar ( para um combate sem medo)

O desafio de um crescimento em almas.

O desafio de ir contra um sistema maligno que é imposto pela sociedade.

O desafio de dizer não ao pecado.

O desafio de não se contaminar

O desafio de ser sal e luz.

O desafio de ser coluna e baluarte da verdade.

O desafio de amar ao próximo.

O desafio de crer, mesmo que a resposta venha a demorar.

O desafio de viver uma vida santa e sem manchas.

Muitos são os desafios e por isso não devemos temer tais desafios, mas crer que Deus está comigo e que sua destra fiel me sustem.
Desafios bons – dar o melhor de si em tudo que vai fazer, evangelizar, ajudar, ter compaixão, fazer corrente de bem/de oração, se espelhar e SER BOM EXEMPLO

– Dinâmica 2: Desenho que se complementa

Você tira o chapéu pra você?
Você é bom exemplo? Como as pessoas te veem? Você influencia pro bem?

Desafios ruins – competição maldosa, drogas, ser melhor que o outro

Romanos 5, 3-5 
“Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz a perseverança, a perseverança, um caráter,. E, a esperança ea esperança não nos decepciona, porque Deus derramou seu amor em nossos corações por meio do Espírito Santo, que nos deu”.

Por nossa Catequista: Gabriely Fernanda Bataier
www.catequesecatolica.com.br