Encontro de perseverança: Educação

288
Encontros de perseverança

O Papa Francisco recordou também algumas dimensões da escola que a tornam indispensável para a sociedade: a escola como lugar de abertura a todas as dimensões da realidade, onde “se aprende a aprender”; a escola como ponto de encontro entre os jovens, os professores, as famílias, na diversidade de proveniências, de condições, de pensamento; a escola como realidade em que crescer para desenvolver “o sentido do verdadeiro, do bem e do belo” em harmonioso relacionamento. E, para terminar, a escola como instrumento de educação aos costumes e bons hábitos e aos valores positivos.

“Desejo a todos um lindo caminho escolar, que faça crescer as três línguas que uma pessoa madura deve saber falar: a língua da mente, a língua do coração, a língua das mãos” – concluiu o Papa.

Introdução
Aos poucos estamos ajudando os jovens a alargar a visão sobre seus campos de relacionamento: o eu e o tu, a família. A partir deste encontro vamos abrir esses círculos para ambientes mais vastos: a escola, o mundo do trabalho e a sociedade toda.

Geralmente, em virtude da situação econômica, pai e mãe trabalham fora e as crianças são levadas às creches ou escolas infantis desde a tenra idade. Assim, a escola é a primeira convivência social da maioria. Ela se torna, então, uma boa oportunidade para se colocar no jovem os alicerces em que se apoiará o seu futuro e o futuro de nossa sociedade. Mas será que é isso que vem acontecendo?

Objetivo
Possibilitar aos jovens a reflexão sobre a sua vida escolar. Ter claro que o processo de estudar não se esgota no aprendizado diário e nos livros, mas em todas as decisões que devem ser tomadas para solucionar os problemas que a sociedade e o mundo vão apresentando. Por isso, é importante interpelar a escola a trabalhar numa metodologia que ajude os alunos a pensar, proporcionando sadia convivência que leve os jovens a serem fermento na massa e agentes modificadores das relações sociais.

Estratégias
Depois da memória da última reunião, celebrar o freqüentar a escola como espaço e momento especial de aprendizagem e capacitação para a transformação da sociedade.
Abaixo escolhemos algumas estratégias que poderão ajudar nessa descoberta.

1º Dinâmica
Objetivo
Ajudar os jovens a perceber a escola como lugar de aprendizado, de convivência social, de crescimento pessoal e coletivo.

Material necessário

Livro do catequizando ou texto impresso, canetas ou lápis.

Descrição da dinâmica

Escolher um ou mais textos para análise e, em grupos, responder às questões propostas. Debater as idéias centrais, tentando traçar um perfil sobre a escola e o mundo jovem.
Aprender para viver melhor

A vida é uma escola. Na vida nunca nos diplomaremos, todos os dias estamos aprendendo. É necessário que todos, adultos e jovens, aprendam com as próprias experiências e com as experiências dos outros (positivas e negativas).

Além de adquirir técnicas e conhecimentos, é necessário que o jovem estude para desenvolver o senso crítico e não simplesmente adquirir técnicas e conhecimentos. Esse senso crítico pouco a pouco irá contribuir para o exercício consciente da cidadania e para a defesa do interesse coletivo (voto, vida político-partidária, sindicatos, missões sociais, vocacionais e eclesiais).

O processo de estudos não se esgota no aprendizado escolar. Inclui, também, as decisões tomadas para a solução dos problemas da sociedade e do mundo. É a escola da vida. Nessa escola nunca paramos ou terminamos de aprender. Precisamos freqüenta-la diariamente.

Para refletir

1.Você concorda com a afirmação de que a escola é a nossa primeira experiência de participação na sociedade? Por quê?

2. Na sua escola, na sua classe, há clima de estudo, de participação, de crescimento? O que fazer para melhorar isso?

3.Como você recebe os ensinamentos da escola da vida?

S.O.S. Escola
O descaso e abandono da educação nas sucessivas políticas governamentais mostram o pouco valor que se dá à educação, tornando caótica a situação das escolas.

Percebe-se grande evasão escolar das crianças e, sobretudo, dos adolescentes e jovens devido a problemas sociais e econômicos.

A maioria das escolas hoje, no Brasil, se preocupa com a mera transmissão de saber acumulado, acentuando, em suas relações, a competição em detrimento da solidariedade. É necessário impedir que o jovem entre no individualismo e no consumismo, na passividade e na uniformidade, que ignoram o pluralismo de situações e culturas.

Para refletir

1. Quais são os problemas que a escola enfrenta hoje?

2.0 que você entende por política educacional num país?

3. Você acha que é só o governo o responsável pela escola? Na sua escola, há algum tipo de iniciativa para a melhoria das condições de ensino?

Máquinas que não abrem

Descreve a reação do autor diante da cena de uma mãe tentando explicar ao seu filho de 4 anos por que a máquina de pipoca não funciona.

– Você não vai conseguir pipoca alguma, filho. A máquina não está funcionando. Veja, há um cartaz na máquina.

Mas a criança não entendeu. Afinal de contas, teve a vontade e tinha o dinheiro, e podia ver a pipoca dentro da máquina. E, no entanto, de algum modo, em algum lugar, alguma coisa deu errado, pois ele não conseguia ter a pipoca. O menino voltou para sua mãe e tinha vontade de chorar.

Senhor, eu também senti vontade de chorar, de chorar pelas pessoas que se transformaram em máquinas que não se abrem, defeituosas, quebradas, mas cheias de bondade, que outras pessoas precisam e querem e da qual, apesar disso, nunca chegarão a usufruir, porque de algum modo, em algum lugar, alguma coisa deu errado lá dentro.
(John Powell, As estações do coração. São Paulo, Ed. Loyola, 1997, p. 108)

Para refletir

1. O que “pode dar errado” na construção do nosso eu?

2. Você acha que a escola ajuda ou atrapalha o ser humano na sua busca de realização e desenvolvimento de potencialidades?

Em busca de realização

Todas as formas de vida têm condições ideais e requisitos essenciais para a saúde, o crescimento e a plenitude. Quando o meio ambiente de cada ser propicia essas condições e requisitos, torna-se possível a plenitude da vida e a realização das riquezas potenciais.

Quando as pessoas estão inteiramente vivas, dizendo um sim vibrante à experiência humana total, e um amém do fundo do coração ao amor, isso c um sinal de que suas necessidades estão sendo atendidas. Mas, quando ocorre o contrário, quando o desconforto, a frustração as emoções doentias predominam na vida de uma pessoa, isso é um indício de que suas necessidades não estão sendo atendidas.

Pode ser por uma falha dela ou daqueles que a rodeiam, mas o fato é que ela não está recebendo aquilo que necessita. De algum modo, em algum lugar, alguma coisa não deu certo em sua vida.

O definhamento e a desintegração aí se instalaram.
(John Powell, O segredo do amor eterno. Belo Horizonte, Ed. Crescer, 1 988, pp. 10-12)

Para refletir

1. Que necessidades os jovens têm hoje?

2. Essas necessidades estão sendo atendidas? A escola ajuda nesse sentido?

3. Você dá espaço para que seus colegas cresçam? Como?

2º Dinâmica
Objetivo
Desenvolver o senso crítico dos jovens sobre a questão da educação no país.

Material necessário

Jornais, revistas, internet, livros sobre educação, papel para cartaz, pincel atômico, tesoura e cola.

Descrição da dinâmica

1°passo – Na semana anterior ao encontro, pedir que os jovens pesquisem sobre a educação no Brasil, trazendo as descobertas para o encontro.

2ºpasso – A equipe de catequistas lambem fará a mesma pesquisa em jornais, revistas, internet e livros especializados, acrescentando esse material ao dos crismandos.

3°passo – Dividir a turma em grupinhos, conforme os temas a serem desenvolvidos. Cada um poderá ficar com um aspecto da educação no país.

4°passo – A apresentação pode ser feita através de cartazes (colagem de notícias, frases, ilustrações etc.), encenação ou outra técnica criativa.

5°passo – Conclusão.

Celebração
Oferecer a Deus as descobertas feitas pelo grupo. Agradecer pela oportunidade de poder aprender e repassar a sabedoria da vida (pensar num jeito de mostrar o que foi refletido aos colegas da escola). Leitura de Eclesiástico 6,18-37.

Próximo encontro
A primeira dinâmica do encontro 10 poderá ocorrer durante a semana que antecede a reunião ou no próprio dia. Se a equipe optar pela atividade “em casa”, dividir a turma em grupos e propor as pesquisas sobre o mundo do trabalho.
Citações Bíblicas
• o aprendizado da sabedoria: Eclesiástico 6,18-37 (livro do crismando);
• a sabedoria vale mais que tudo: Provérbios 2,1-10;
• a pessoa de Jesus modifica radicalmente o conceito de sabedoria. Deus privilegia os excluídos, questionando os “sábios” deste mundo: Mateus 11,25-27; 1Coríntios 1,18-31;
• o próprio Jesus é discriminado em sua sabedoria por ser filho de um humilde carpinteiro: Marcos 6,2-3;
• necessidade de doar o saber para os outros: Mateus 25,14-30.

*Profissões Mt 7,26-27 e salmos 127

Por nossa Catequista: Gabriely Fernanda Bataier
www.catequesecatolica.com.br