Encontro Perseverança: E eu? (Decisões)

167
Encontros de perseverança
Ajude-nos a Evangelizar

Na juventude, sem dúvida nenhuma, é o tempo de fazer escolhas. Escolhas estas, que definirão o rumo de nossas vidas. Quem eu sou? Qual meu caráter? Como devo agir nesta situação? Qual profissão eu terei? Me faz bem me relacionar com essa pessoa? Devo ser amigo dessas pessoas? Com quem me casarei? Farei o que gosto ou que será lucrativo? Qual é o meu chamado? Eu o aceitarei e o cumprirei? São tantas as perguntas que “borbulham” em nossas mentes, e que precisam ser respondidas através das nossas escolhas. (Escolhas são sempre difíceis, podemos até errar as vezes, mas sempre devemos lembrar que nossas escolhas definem nossa vida “Qual vida eu quero pra mim?”)
Penso que fazer escolhas corretas é ter a Graça de Deus, que traz paz e não acrescenta dores. Mas para decidir, para escolher, precisamos de sabedoria. Tolo é o que pensa que o jovem não pode ser sábio. A Bíblia não condiciona idade à capacidade de ser sábio, mas diz que a Sabedoria deve ser buscada, e será encontrada em Deus.
Há jovens que estão infelizes, frustrados e presos por suas escolhas erradas. Um namoro turbulento, um noivado onde não se vê futuro, uma profissão que ele nunca sonhou, um chamado de Deus perdido… Tantas coisas escolhas erradas!
Deus nos deu a oportunidade de sermos livres em Sua presença. E isso inclui decidir, escolher, ou em outras palavras, ter livre-arbítrio.
Somos Jovens e Deus nos escolheu porque somos fortes. Você pode mudar a sua história agora mesmo. Decida mudar, escolha o caminho correto, reaja! Decidir é ser corajoso para enfrentar um futuro que não conhecemos, mas que certamente será muito bom se nossa escolha foi correta. Busque conhecimento, compartilhe suas dúvidas com alguém que realmente possa ajudá-lo, não fique sozinho. Se necessário for, recomece. Você pode e deve ser feliz através de suas escolhas. Deus deseja isso.

Na catequese sobre os dons do Espírito Santo, o Santo Padre refletiu sobre o dom do conselho. Este dom caracterizado pela sabedoria, possibilita tomar decisões baseadas em um julgamento correto. É um dom que impulsiona o cristão na busca de Deus e no serviço aos irmãos.
O dom do conselho “nos torna capazes de fazer a escolha certa no nosso dia-a-dia, seguindo a lógica de Jesus e do seu Evangelho”, disse o Papa ao abrir a catequese.
“O conselho, então, é o dom com o qual o Espírito Santo torna a nossa consciência capaz de fazer uma escolha concreta em comunhão com Deus. Ele nos torna sensíveis à sua voz e orienta os nossos pensamentos, fazendo-nos assim crescer interiormente, para não nos deixar agir à mercê do egoísmo e do próprio modo de ver as coisas”, completou.
A oração torna dócil o coração permitindo uma sintonia profunda com o Espírito Santo. Nesse sentido, o Santo Padre aconselhou os fiéis a confiarem nos benefícios da oração. “Sempre voltamos ao mesmo ponto. A oração. Rezar é tão importante”, e rezar em todas as situações do cotidiano, lembrou o Papa. “Ninguém percebe quando nós rezamos no ônibus, na rua: rezemos em silêncio, com o coração, aproveitando desses momentos para rezar. Rezar para que o Espírito nos dê este dom do conselho”, indicou.
O dom do conselho é também um “tesouro para a comunidade cristã”. Através de homens e mulheres dóceis ao Espírito Santo pode-se “reconhecer a vontade de Deus na nossa vida”, disse Francisco.
“De fato, é justamente isto o que deve acontecer numa comunidade cristã: devemos nos apoiar mutuamente na fé, iluminando-nos um ao outro no Espírito Santo”, sublinhou.

Em vez de confiar em nosso próprio entendimento, devemos nos lançar ao Senhor, implorando-Lhe sabedoria e direção em cada decisão importante. Ele prometeu guiar o Seu povo, mas devemos buscar a Sua orientação e não apenas presumi-la. Devemos reconhecê-Lo em todos os nossos caminhos. É uma tentação pensar: “Bem, o Senhor já sabe que necessito de Sua sabedoria e auxílio. Certamente, Ele vai mos dar, automaticamente” . De fato, Deus nos ensinou em Sua Palavra a orar específica e decididamente sobre todos os assuntos. Deixar de fazê-lo é dar um passo para se tomarem decisões erradas.

Dinâmicas

Escreva em pequenos papeis as palavras e distribua entre as pessoas.

BÊNÇÃO, MÁGOA, SAÚDE, TRISTEZA, BONDADE, RAIVA, DROGAS, VIDA, ANGÚSTIA, ESTUDOS, TRABALHO, AMOR, DINHEIRO SUJO, MEDO, ESPERANÇA, ÓDIO, FOFOCA, MALDADE, ESFORÇO, MÁS AMIZADES, HUMILDADE, DESARMONIA, FALTA DE AMOR, QUERER SER MAIS QUE O OUTRO, NÃO SE DAR O RESPEITO, SER EXEMPLO, TER EDUCAÇÃO…

Vá perguntando de um por um se ele diria SIM ou NÃO para o papel sorteado. Depois que todos responderem passar o papel pro lado e perguntar novamente pra todos.
Explique que em muitas situações nas nossas vidas nos deparamos em ter que tomar certas atitudes, tendo que dizer “sim” ou “não” há coisas e/ou pessoas. E são decisões que nos definem, que fazem bem ou mal para nós mesmos.

Por nossa Catequista: Gabriely Fernanda Bataier
www.catequesecatolica.com.br