“Isto é o meu corpo…”

237
Isto é o meu corpo...

Foi durante um momento de intimidade profunda com os seus discípulos, e no decorrer de uma refeição que Jesus concretizou as palavras verbalizadas na sinagoga de Cafarnaum: “Se não comerdes a carne do Filho do Homem, e não beber o seu sangue, não terá a vida em vós mesmos” (João 6,53)

Ninguém havia entendido nada. Comer carne humana? Beber sangue? Quase ao final da refeição Jesus desvenda o mistério. Toma o pão e diz: “Isto é o meu corpo…”. Depois toma o cálice e pronuncia as palavras: “Este é o cálice do meu sangue…”.

Estava instituído o Sacramento da Eucaristia, o Sacramento da Humildade, da Simplicidade, do Amor. Jesus quis se coisificar para nos alimentar e permanecer conosco todos os dias até o fim dos tempos. E assim torna-se prisioneiro de todos os sacrários do mundo, a fim de matar a nossa fome de liberdade de filhos de Deus.

Mas quem nos daria o seu corpo e o seu sangue? Quem teria o poder de trazer Jesus do céu para a terra? Quando ele pronuncia as palavras: “Fazei isto em memória de mim”, está instituído o Sacramento da Ordem. A ordem foi dada aos apóstolos (bispos), que através da Sucessão Apostólica, e pela imposição das mãos, passarão o poder aos sacerdotes sob a bênção do Espírito Santo.

Certa vez perguntaram a uma santa se ela se ajoelharia diante de um anjo ou de um sacerdote. Ela não titubeou: “Eu me ajoelharia diante de um sacerdote porque somente ele me dar Jesus”.

Fonte: Mateus 26,26

Paz e Luz

Leia mais Artigos do Autor:

Evangelizarão Integrada

Antonio Luiz Macêdo