Maria Missionária: socorrer os feridos em sua dignidade!

86
novena de aparecida 2019

Em todos os batizados, desde o primeiro ao último, atua a força san-tificadora do Espírito, que impele a evangelizar. […] que o torna infalí­vel “in credendo”, ou seja, ao crer, não pode enganar-se, ainda que não encontre palavras para explicar sua fé. (Evangelii Gaudium, n. 119)

1. Acolhida

(Procissão de Entrada)

2. Saudação Litúrgica

R: Em nome do Pai t e do Filho e do Espírito Santo.

Amém!

R: Maria, como é bom ser inteira­mente de Deus, como vós o fos­tes. Nada há de mais bonito do que pertencer de todo o coração a Deus e oferecer a vida, como vós oferecestes, a serviço dos feridos em sua dignidade e oprimidos pela maldade dos inescrupulosos.

— Ó Mãe, abri nossos olhos e nosso coração para a beleza do servir e acolher os feridos em sua dignidade. Amém!

 

REVERENCIAR CONTEMPLAR

3. Contemplando Maria

(Entronização e incensação da Ima­gem. Logo após, fazem-se o “Contemplando Maria”, os “Louvores a Maria” e o “Testemunho Missionário–Profético”. Durante a incensação da imagem, silêncio orante)

R: Maria, há uma alegria que bro­ta em nosso coração, a alegria da fé, de sabermos que há cristãos comprometidos

  • com a causa do Reino, em mui­tos lugares e muitas Comunida­des de nossa pátria e do mundo!
    R:
    São pessoas destemidas, por­ que apostam no Evangelho. Sem medo e sem reservas, colocam-se ao lado da vida,
  • ao lado dos oprimidos e me­ nos favorecidos, dos feridos e abandonados!

L.: Recordai-nos, sem cessar, ó Maria, que somos cristãos batiza­dos e recebemos a mesma mis­são de Jesus.

— Se amamos de verdade a Je­sus, como vós amastes, pode­ mos fazer o que Ele fez!

L.: Só pode ser feliz e ter alegria quem ama e quer servir, porque tem Deus no coração. O Evange­lho é a fonte de toda a vida, da verdadeira liberdade e de nossa salvação.

— O Evangelho nos ensina que não é do agrado de Deus ver as feridas das injustiças em seus filhos!

L.: Maria, vós exalais tanto amor, que nos contagia e nos traz tan­ta alegria, não aquela passagei­ra, mas a que vem do céu. Nada poderá tirá-la de nosso coração, nem mesmo a guerra, violência ou opressão.

–   Sob vossa proteção, ó Maria, e na graça divina, vamos viver nosso batismo. Amém!

4. Louvores a Maria

R: Maria, agora vamos dirigir nos­so olhar para o além, mas sem tirar os pés da terra, pois nossa esperança é que, um dia, nela corram leite e mel,

— haja vida em abundância, ale­gria no coração e respeito à dig­nidade humana!

R: Maria, vós nos ensinais que Je­sus é nossa Luz. Quem caminha sob essa Luz não experimentará jamais a amargura. Aceitai nosso louvor, ó Mãe bendita,

— e levai-o até Jesus, para tra­zer à vida os que estão feridos por causa das injustiças. Amém!

–   Senhora e Mãe da humanidade,
Maria, louvamos a vós!

  • socorro dos mais abando­nados,
  • sois modelo de amor e de ter­nura.

Lá no céu, rogai a Deus por nós!

  • Sois presença de esperança.
    Maria, louvamos a vós!
  • Dos pobres sois Mãe e Se­nhora.
  • Libertai os que estão opri­midos.

Lá no céu, rogai a Deus por nós!

R: Ó Pai, beleza infinita e amor sem-fim, conduzi a vida dos cristãos, para que assim eles testemunhem vosso Reino e sejam bons samaritanos no tempo de agora,

que tanto precisa de amor, paz, alegria e libertação. Amém!

5. Testemunho

Missionário-Profético

Margarida Maria Alves Margarida Maria Alves, mulher, nordestina, honesta, digna, trabalhadora rural, sindicalis­ta, defensora dos direitos dos pobres e oprimidos. Nasceu em Alagoa Grande, PB, e foi a primeira mulher a exercer um cargo de direção sindical em nossa pátria.

Foi responsável por ajuizar mais de 100 ações trabalhistas na Jus­tiça do Trabalho e muito lutou pelos direitos trabalhistas no Es­tado da Paraíba, durante a dita­dura militar. Foi grande sua luta a favor da vida e da justiça. A ação a favor da justiça desagradou os poderosos, que não tinham Deus em conta.

Margarida morreu no dia 12 de agosto de 1983, atingida no rosto, por uma escopeta calibre 12, na porta de sua casa. Foi morta por causa de sua ação a favor da jus­tiça aos trabalhadores. Três meses antes de morrer, no dia 1 de maio, disse: “É melhor morrer na luta do que morrer de fome”. Mais de 30 anos passados, sua morte não teve nenhum acusado, mesmo que tenha sido denunciado à “Comissão Interamericana de Direitos Hu­manos”. Porém, a justiça ver­dadeira não morre e renascerá com força.

(Instante de silêncio meditativo)

OUVIR    COMPROMETER-SE

6. Palavra de Deus

P.: Maria, vós que acolhestes a Palavra viva, Jesus, em vosso seio bendito, fazei com que essa Palavra fecunde nossa vida de compromisso com o Reino. Vós bem sabeis quanta alegria há, quando nos dispomos a servir e amar, pois fizestes isso. Há feri­dos, ó Mãe, em nossa sociedade, sem direito à vida verdadeira, à saúde, à escola… e há poderosos e mentirosos nos tronos. , Vinde Palavra viva do Senhor, renovai nosso coração e fazei--nos bons samaritanos em nos­so mundo em transformação. Amém!

(Acolhimento da PALAVRA DE DEUS: fonte de vida, fonte de salvação)

Cântico à PALAVRA DE DEUS — Anúncio – O Bom Samaritano –Lc 10,30-37

30 Retomando a palavra, disse Je­sus: “Um homem descia de Jeru­salém a Jericó e caiu nas mãos de assaltantes, que roubaram tudo o que tinha, agrediram-no a paula­das e fugiram, deixando-o quase morto.31 Por acaso descia um sa­cerdote por aquele caminho: viu-o e seguiu adiante. 32De igual modo um levita, chegando àquele lugar, ao vê-lo, seguiu em frente. 33Um samaritano, porém, que ia de via­gem, chegou perto dele e, ao vê–lo, teve compaixão. 34Aproximou–se dele e fez curativos em suas feridas, derramando óleo e vinho; depois, montou-o em seu próprio animal, levou-o a uma pensão e cuidou dele. 35No dia seguinte, tirou duas moedas e, entregando–as ao hospedeiro, disse-lhe: ‘Cui­da dele, e o que gastares a mais, na volta eu o pagarei’. 36Qual dos três, em tua opinião, comportou–se como próximo do homem que caiu nas mãos dos assaltantes?” 37Ele respondeu: “Aquele que o tratou com bondade”. Então Je­sus lhe disse: “Vai e faze o mes­mo!” — Palavra da Salvação.

Glória a vós, Senhor.

(Mensagem)

7. Compromisso Solidário

R: Senhor, como é sublime o ges­to daquele samaritano, que agora o chamamos de bom, pois o foi de verdade. Não se importou com a etnia, com a cultura ou nível so­cial daquele ferido, que o interpe­lou nessa ação humanitária e de caridade.

— Quis apenas socorrê-lo e sal­vá-lo daquela desonra e sofri­ mento!

L.: Aquele samaritano foi inter­pelado por aquele homem feri­do. Enquanto os pobres forem objetos de teorias, de falácias na Igreja e na sociedade, sofredores abandonados, desonrados em sua dignidade, estarão à margem do caminho.

–  O Evangelho nos faz sermos solidários, se formos bons sa­maritanos. A escolha é nossa e de nossa Comunidade!

L.: Há tantas diferenças sociais entre nós, na América Latina in­teira e em tantos arraiais da vida. Ainda há dominadores nos tronos, que não sabem ser solidários e não estão preocupados com isso.

–  Vosso povo, ó Maria, anseia por solidariedade, justiça e dig­nidade aos pobres e maltratados!
R: 
Senhor  Deus,  se  nos cau­sa tristeza ver o sofrimento dos abandonados, muito maior é a preocupação com o silêncio dos bons, dos que têm o suficiente e não precisam se preocupar, pois imaginam que nada vai lhes faltar.
— Maria,  inquietai o coração dos bons e da sociedade intei­ra, a fim de que haja acolhida aos feridos e abandonados, que estão, muitas vezes, tão perto de nós. Amém!

(Procissão da Caridade – Oferta dos Alimentos)

 

BENDIZER ADORAR

8. Por Maria a Jesus

L.: Maria, a alegria penetra em nosso coração, pois vamos ago­ra acolher vosso Filho, o Pão que nos sustenta

e nos recobra o vigor da esperança e do amor entre ir­mãos!

Lt: Como não desejar a humilda­de, pois se o próprio Senhor se fez

tão pequeno em um pedaço de Pão, para estar entre nós? Só os simples e humildes, como Maria,

sabem compreender tão grande mistério de amor. Os or­gulhosos não!

L.: Perdoai nossa ingratidão, Se­nhor, Deus da Vida, e vinde ou­tra vez, como a chuva benfazeja, regar nosso coração com vossa imensa misericórdia sem-fim e cheia de compaixão.

–  Vinde, Jesus, Verbo eterno e amor sem-fim, e aceitai nossa hospedagem. Amém!

(Entronização, Exposição e Adoração do Santíssimo)

9.  Diante de Jesus, Pão da Vida

(Antes do cântico “Tão Sublime”) R: Ó Verbo eterno, presente em nossa humanidade,

–  iluminai-nos e abri nossos olhos para o amor e a fraterni­dade!

R: Sacerdote eterno, que nos ser­vis em cada Eucaristia,

–  nós vos louvamos, nós vos agradecemos e bendizemos!

R: Bom Pastor, fazei-nos bons sa­maritanos nesta vida.

— A vós toda honra e toda glória, agora e pelos séculos sem-fim. Amém!

10. Bênção do Santíssimo

IDE EVANGELIZAI
11. Caminhando com Maria

R: Maria, Senhora da humanidade, dos pobres e feridos no mundo,