Mês Missionário Extraordinário

74
missão evangelizar homem no barco lançando as redes

A missão é parte constitutiva da identidade da Igreja chamada pelo Senhor a evangelizar todos os povos. Sua razão de ser e agir como fermento e como alma da sociedade, que deve renovar-se em Cristo e transformar-se em família de Deus. Por isso, este mês deve animar a vocação missionária dos cristãos, fortalecer as raízes de sua fé e despertar sua responsabilidade para que todas as comunidades cristãs se ponham em estado de missão permanente. Trata-se de despertar, nos cristãos, a alegria e a fecundidade de serem discípulos de Jesus Cristo, celebrando com verdadeiro gozo o “estar-com-Ele” e o “amar-com-Ele”, para serem enviados para a missão.

A missão nos leva a viver o encontro com Jesus num dinamismo de conversão pessoal, pastoral e eclesial, capaz de impulsionar à santidade e ao apostolado os batizados e de atrair os que abandonaram a Igreja, os que estão distantes do influxo do Evangelho e os que ainda não experimentaram o dom da fé. Outubro é o mês missionário, assim como o mês de agosto é dedicado às vocações e setembro à Bíblia. Outubro é um tempo forte para se intensificar as orações e os trabalhos de missão.

A dimensão missionária é a mais profunda identidade da Igreja. Ela existe para continuar a missão de Cristo aqui na terra. No primeiro dia do mês a Igreja celebra o dia de Santa Terezinha do Menino Jesus, a padroeira das missões. Uma santa doutora da Igreja que faleceu aos 24 anos, no convento, é conhecida por ser uma santa com vida simples sem feitos extraordinários. Por ser a padroeira das missões, o exemplo da vida de Santa Terezinha faz com que todos os cristãos se sintam compromissados com a evangelização, em levar a Palavra de Deus a todos os lugares e a todas as pessoas.

A intenção é promover uma conscientização para lembrar os fiéis cristãos da missão de cada um. Os religiosos, religiosas, sacerdotes, membros de novas comunidades, são missionários e assim denominados, mas os leigos também têm o dever de evangelizar. Devido este caráter missionário da Igreja, no Brasil este ano temos como tema do mês missionário: “Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo”. “A Missão do Messias vem do Deus da vida e por isso, traz libertação para quem sofre algum tipo de escravidão. Hoje, Jesus nos desafia a assumirmos essa mesma Missão”, complementa.

O objetivo é criar comunhão entre os diversos aspectos da Missão e incentivar para o compromisso. Todas as famílias e comunidades são convidadas a viverem com maior intensidade o Mês das Missões. Com isso, a nossa Igreja no Brasil se fortalece e se abre com maior generosidade para a Missão Universal além-fronteiras. Conforme o apelo do Papa Francisco, “não nos deixemos roubar o entusiasmo missionário!” (EG 80).

Assim, neste Mês Missionário Extraordinário rezemos “para que o sopro do Espírito Santo suscite uma nova primavera missionária na Igreja”. As semanas missionárias que, neste ano, acontecem em todos os vicariatos devem nos ajudar nesse espírito de suscitar em todos a consciência de que uma vez batizados somos consequentemente missionários, ou seja, enviados permanentemente e constantemente ao mundo que necessita desse sopro do Espírito Santo, alma de toda a missão.

Rezemos: Pai Nosso, o Teu filho unigênito Jesus Cristo,
ressuscitado dentre os mortos, confiou aos seus discípulos o mandato:
“Ide e fazei discípulos todos os povos”. Recorda-nos que, pelo batismo,
tornamo-nos participantes da missão da Igreja. Pelos dons do Espírito Santo, concede-nos a graça de sermos testemunhas do Evangelho,
corajosos e vigilantes para que a missão confiada à Igreja, ainda longe de estar realizada, encontre novas e eficazes expressões que levem vida e luz ao mundo. Ajuda-nos, Pai Santo, a fazer com que todos os povos
possam encontrar-se com o amor e a misericórdia de Jesus Cristo,
Ele que é Deus convosco, vive e reina na unidade do Espírito Santo,
agora e para sempre. Amém

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.Arcebispo Metropolitano de São Sebastião do Rio de Janeiro, RJ