Mulher pessimista

291

Havia, certa vez, numa pequena cidade, uma senhora que era pessimista. Ela tinha dois filhos casados. Um fabricava sandálias e o outro fabricava guarda-chuvas. Quando fazia sol, ela pensava que ninguém ia comprar os guarda-chuvas e assim o filho e a família iam passar necessidade. Por isso reclamava.

Quando chovia, ela pensava no outro filho que fazia delicadas sandálias e que ninguém ia comprá-las, e assim ele e a família iam passar necessidade. Por isso lamentava contra a chuva.

Na verdade, ela devia ver as coisas do lado contrário: Quando o sol brilha, o filho que fabricava sandálias ia vender muito. Quando chove, também ela devia ficar contente porque o filho que fabricava guarda-chuvas ia vender bastante.

Os nossos inimigos sempre têm alguma qualidade, algo de bom. Precisamos ter olhos fracos para ver os defeitos do outros, e vista bem nítida para ver as suas qualidades.