Quinquagésimo dia da paz

2133
Dia da paz
site-de-catequese

No dia primeiro de janeiro, com o tema: “A não-violência: estilo de uma política para a paz”, o Papa Francisco envia-nos sua mensagem para a celebração do Quinquagésimo Dia Mundial da Paz.

Ele deseja paz aos povos e nações do mundo inteiro, aos chefes de estado e de governo e aos responsáveis pelas comunidades religiosas e das várias expressões da sociedade civil. Ele quer paz para homens, mulheres e crianças e pede a Deus que a imagem e semelhança do Pai em cada pessoa nos permitam reconhecer-nos mutuamente como dons sagrados, com uma dignidade imensa, sobretudo nas situações de conflito, que todos e cada um de nós respeitem essa “dignidade mais profunda” e faça da não-violência ativa o seu estilo de vida.

A primeira mensagem para o Dia Mundial da Paz nos foi enviada pelo Beato Papa Paulo VI, em 1967 e foi dirigida a todos os povos, não só aos católicos.

O Papa Francisco adverte, em sua mensagem, que a violência não é o remédio para o nosso mundo dilacerado, pois “responder à violência com violência leva, na melhor das hipóteses, a imigrações forçadas e a atrozes sofrimentos, porque grandes quantidades de recursos são destinadas a fins militares subtraídas às exigências do dia-a-dia dos jovens, das famílias em dificuldade, dos idosos, dos doentes, da grande maioria dos habitantes da terra”.

O Papa Francisco lembra que a paz traz benefícios para quem a recebe e para quem a promove.

Sabemos que, no mundo de hoje, é uma tarefa difícil promover a paz, mas podemos começar pedindo a Deus que abrande o coração das pessoas que cultivam a violência, podemos pedir também que o Senhor nos dê coragem e força e podemos igualmente promover a paz no nosso ambiente de convivi, na família, no bairro, no ambiente de trabalho, em nossa cidade e, assim, os horizontes vão se alargando, até abraçarmos o mundo, esse mundo tão carente de paz e amor!

Um pequeno gesto pode ser a origem de uma grande ação transformadora.

“Senhor Jesus Cristo, que dissestes aos vossos apóstolos Eu vos deixo a paz, eu vos dou a minha paz, não olheis para os nossos pecados, mas para a fé da vossa Igreja. Dignai conceder-lhe a paz e a unidade, vós que sois Deus, que viveis e reinais, com o Pai Espírito Santo por todos os séculos. Amém.”