Senhora gosta de seu quarto sem conhecê-lo

1659
Buscar a felicidade em cada amanhecer

Havia, certa vez, uma senhora bem idosa que decidiu ir morar no asilo. No dia combinado, ela arrumou a sua mala e foi. A funcionária do asilo a recebeu na portaria e foram caminhando pelo jardim interno. A funcionária apontou para uma janela e disse: “Aquele ali é o quarto da senhora”.

A mulher olhou sorrindo e disse: “Que quarto bonito!” A moça falou admirada: “Mas a senhora nem conhece o quarto ainda, como sabe que é bonito?” A nova moradora explicou: “Pela cortina. Se a cortina é bonita, é sinal que o quarto também é”.

Isto significa que aquela senhora estava pré-disposta a gostar da sua nova moradia.

A felicidade é algo que nós mesmos decidimos antes da hora. Se eu vou gostar do meu quarto ou não, não depende de como os móveis estão arranjados, e sim de como eu os arranjo em minha mente. E eu já decidi gostar dele.

Cada manhã, quando eu acordo, tenho uma escolha: Posso passar o dia remoendo dificuldades, ou posso sair da cama agradecido por mais um dia que Deus me concede, para que eu possa fazer o bem. Cada dia é um presente de Deus.

As principais cruzes da nossa vida são aquelas que a própria vida nos impõe, como o clima, as pessoas difíceis com quem convivemos, as doenças e situações novas como a desta senhora.