2º Dia da Novena de Aparecida 2018

457

Com Maria e Jesus, restauramos o jardim do éden!

“Para compreendermos em toda a sua grandeza e dignidade a natu­reza e missão dos cristãos leigos e leigas, podemos dirigir nosso olhar para Maria. Nela encontramos a máxima realização da existência cristã” (Doe. 105 CNBB, n. 113).

  1. Acolhida

(Procissão de Entrada)

  1. Saudação Litúrgica

P- Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. -Amém!

P.: Ó Rainha incomparável do céu e da terra, sois a beleza sem-fim do Deus que a escolheu, e de toda a humanidade que se alegra com vossa bondade. Sois Mãe e Mes­tra dos cristãos leigos. -Vós fizestes a experiência de nos­sa humanidade e nos ensinastes a viver sempre na humildade. Amém!

  1. Contemplando Maria

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, fazem-se a contemplação e a recordação da vida que seguem. Durante a incen-sação da imagem, silêncio orante.)

P-: Maria, vós que sois a nova Eva, a Mulher do sim verdadeiro, ajudai-nos a viver o projeto divino, que é a paz para toda a humanidade.

  Caminhando com Maria, res­tauramos  a  vida  ferida   pelos egoístas do mundo!

L.: Vós nos chamais a olhar para o futuro com confiança, pois nos mostrais o quanto Deus nos ama, e nos pedis:

“Escutai o que Ele diz”.

L.: Lembramo-nos, ó Maria, logo após a anunciação, do quanto fos­tes solícita,

– pois vos pusestes a caminho para servir Isabel! L.: E, naquela casa que vos acolhia, cantastes o Magnificai, o cântico dos remidos, dos que apostam no projeto divino, dando abrigo aos desprovidos,

o qual é o novo Jardim do Éden, a vida nova em Cristo, a eternida­de feliz!

p.: Maria, vós nos mostrais que o Jardim de agora, nascido no cora­ção de Cristo, é muito mais subli­me que o jardim de outrora, pois nossa humanidade foi agraciada por um amor que não tem fim. – Amor que gera a esperança, faz novas todas as coisas e restaura as criaturas! Amém!

Recordando a Vida e os fatos JOVEM: Mais de duzentos frag­mentos são a consequência da queda da imagem. Foi preciso muito carinho, estudo, ciência, eficiência e cuidado para resti­tuir a bela imagem da Senhora Aparecida. Desse fato, também podemos aprender que o cora­ção de mãe se desdobra o mais que puder; desdobra-se em amor, atenção e ternura para com seus filhos e filhas. Mais de duzentos fragmentos significam o tamanho do amor de mãe, que é o melhor amor que se tem: é puro, é santo, é bendito. Demos graças ao Senhor por sacerdote tão dedicado, que teve a inicia­tiva de juntar, com suas mãos sacerdotais, cada fragmento e protegê-los, como verdadeiro pajem de uma criança nova.

CRIANÇA: Ó Mãe Aparecida, é tão bom saber de vosso amor sem conta, impossível de ser medido, pois não há outro igual. Olhai com bondade para as crian­ças ultrajadas em sua dignidade, feridas no sentido da vida, por causa dos malvados do mundo. Amém.

  1. Louvores e súplicas a Maria

p.: Chegue ao céu a mais suave melodia nascida na voz dos que suplicam confiantes.

  Precisamos, ó Maria, de vosso auxílio e proteção.

P.: Estendei sobre nós vossas mãos benditas, amparai-nos com vosso auxílio maternal

e fazei frutificar a ação dos cris­tãos leigos no meio de nossa so­ciedade!

p.: Por isso, ó Maria, acolhei nosso canto, nosso louvor, nosso amor e levai-os a Jesus, nosso Senhor.

Ó Mãe dos pobres e humildes. Maria, clamamos a vós!

– Sois Virgem e Mãe imaculada.

– Libertai vosso povo oprimido. Lá no céu, rogai a Deus por nós!

-Ó Senhora de nossa humanidade. Maria, clamamos a vós!

– Ó sonho tão lindo de Deus.

–  Confirmai-nos no caminho de Jesus.

Lá no céu, rogai a Deus por nós!

– Neste ano bendito do Laicato, Maria, clamamos a vós!

– ajudai-nos a viver o batismo.

– E, no mundo, sermos luz e tes­temunho.

Lá no céu, rogai a Deus por nós!

p.: Rogai, ó Mãe, por nós que vive­mos no vale de lágrimas, desejan­do o Jardim do Éden, sendo obe­dientes à vontade do Senhor,

  para que experimentemos a liberdade e a paz em cada dia, caminhando reconciliados com vosso Jesus. Amém!

  1. Palavra de Deus

p.: A Palavra é como a chuva ben­fazeja na terra sedenta:

faz brotar a semente e produzir seus frutos em abundância!

p.: Maria acolheu com alegria, em seu seio bendito, a Palavra que se fez carne e habitou entre nós:

Jesus, nosso Senhor e Redentor! P.: Deus nos chama a ser seus fi­lhos e filhas verdadeiros e coer-deiros do céu, da eternidade feliz.

Ajudai-nos, ó Maria, a acolher, meditar e viver a Palavra, que é luz e nos conduz ao céu. Amém!

(Acolhimento da Palavra do Senhor)

Cântico à PALAVRA DO SENHOR

– Anúncio – Filiação divina –Rm 8,14-17

14São filhos de Deus todos os que se deixam conduzir pelo Espírito de Deus. 15Pois não recebestes um espírito de escravos para recairdes no medo; mas recebestes um Es­pírito de filhos adotivos, que nos permite exclamar: “Abbá, Papai!” 160 próprio Espírito atesta a nosso espírito que somos filhos de Deus. “E, se somos filhos, somos tam­bém seus herdeiros: herdeiros de Deus, herdeiros com o Cristo, se verdadeiramente tomamos parte em seus sofrimentos para partici­parmos também de sua glória.

– Palavra do Senhor.

Graças a Deus!

(Mensagem)

  1. Compromisso Solidário

P.: Maria, vós nos ensinastes a olhar as pessoas com amor e ter­nura divina, pois fostes solidária na caridade

– e sois a “Santa do avental”, sem­pre pronta a servir e nada mais! L: Vivemos, ó Maria, no tempo de agora, a busca do sucesso e dos ho­lofotes a todo custo, a qual alimen­ta divisão e eliminação de quem se opõe a esse caminho. E vós nos en­sinais que é o amor solidário

   que nos faz permanecer na alegria e na consideração dos ir­mãos!

L: A solidariedade não permite que cheguemos sozinhos, mas juntos, ó Maria. Por isso, jamais abandonastes vosso Jesus

  e não abandonais o povo que vos tem como Mãe santa e ben­dita!

P.: Abri nossos olhos, ó Mãe que­rida, para enxergarmos, nos sinais dos tempos, o jeito certo de viver o Evangelho em nossos dias, que, às vezes, despreza o Deus da vida.

  Fazei-nos encontrar a verdade que liberta: Jesus, vosso Filho e nosso Senhor. Amém!

(Procissão da Caridade – Oferta dos Alimentos)

  1. Por Maria a Jesus

L: Ó Mãe do Redentor, o Cristo Senhor, nosso Deus e Salvador,

  levai-nos até Jesus, o Pão da vida, e fazei-nos viver na unidade e na fraternidade!

L: Nós reconhecemos, Senhor, vossa presença no mistério da Sa­grada Eucaristia

-e sabemos que vós aí estais por causa de nós!

L: Nós vos amamos, Senhor, e es­peramos em vossa misericórdia, pois sois nosso Salvador.

  Vinde, Jesus, permanecei co-nosco e fazei-nos viver, aqui na terra, um pedacinho do céu!

(Acolhimento, Exposição e Adora­ção do Santíssimo)

  1. Diante de Jesus, Pão da Vida

P.: Salve, ó Jesus, Filho de Deus, nascido de Maria, presente no mistério da Eucaristia.

Nós vos adoramos e vos ben­dizemos, Senhor,  Pão da vida eterna!

P.: Sois amor eterno e simples como uma criança, fazendo-se presente no Pão, que nos contagia e traz paz e alegria. -Sois nosso Redentor, e longe de vós jamais teremos a vida! P.: Sede a esperança dos pobres abandonados em nossa pátria, que, muitas vezes, são apenas ob-jetos de discursos interesseiros dos que desejam distinção e poder.

Sois nossa certeza e esperança, Senhor, Deus da Vida. Amém!

  1. Bênção do Santíssimo

(Cântico “Tão Sublime”, p. 3)

  1. Caminhando com Maria

P.: Rogai por nós, ó Senhora Apa­recida, Mãe querida e fiel discípu­la do Evangelho,

para que sejamos dignos das promessas de Cristo! *P.: Maria, ajudai-nos a olhar para

o projeto do Reino do Céu e para o Ano bendito do Laicato, que estamos vivendo. Ajudai-nos a restaurar a vida ferida dos fla­gelados sociais de nossos dias. Guardai, em vosso coração ma­terno, quem defende a vida e a promove, pratica a justiça e não entra nos arraiais dos injustos e sem escrúpulos.

-Ajudai-nos, ó Maria, a viver o pro­jeto de Jesus, que é ser vida e ser luz. Por isso nos consagramos a vós!

(Consagração a Nossa Senhora, p. 6)

  1. Oferta das Flores

L: Maria, ficamos a pensar em vos­sa casa em Nazaré. Certamente, as pessoas vos visitavam cheias de alegria, pois sabiam de vossa san­tidade e o quanto éreis amada por Deus. Quanta paz sentia no coração

quem se encontrava com Ma­ria, a mais fina flor do Reino do Senhor!

L: A Casa de Nazaré, hoje, é aqui, é nossa Comunidade, é a Igreja, na qual Maria é Mãe incompará­vel. Onde está Jesus, aí está Ma­ria, pois não há mãe sem filho nem filho sem mãe.

Como é bela nossa vida, pois te­mos o Redentor e uma Mãe, que nos acolhe com alegria!

L: Neste lugar bendito, abri nos­sos olhos e ouvidos, ó Maria, pois é o Evangelho que irá nos trans­formar e fazer-nos criaturas sem­pre dispostas a servir e amar.

Trazemos nossas flores, colhi­das com carinho, para ofertá-las à Mãe do Salvador!

  1. Envio Missionário

P.: Sejam fiéis ao Senhor e façam o esforço necessário para que a dignidade das pessoas seja amada e respeitada em nossa pátria e no mundo. – Amém.

P.: Sejam firmes na vivência da fé e na vida de Comunidade e redes-cubram o belo sentido cristão de pertencer ao Reino de Deus. -Amém.

P.: A você que hoje rezou e se en­cantou com a presença do Senhor e de Maria: que o caminho seja bran­do sob seus pés e a brisa da manhã sopre leve sobre sua vida… Que o sol brilhe forte, dissipe toda treva e ilumine seus caminhos… Que as chuvas caiam serenas e fecundem os campos e as florestas… O Senhor o envolva no abraço de seu amor misericordioso, guarde-o na palma de suas mãos, como uma criança recém-nascida, e o abençoe rica e poderosamente, em tudo e sempre. Amém! Aleluia, agora e para sempre. Amém