7º Dia da Novena de Aparecida 2018

535

Com Maria e Jesus, fazer-se Comunidade-Sacramento!

“Em Maria, a mulher leiga, santa Mãe de Deus, os fiéis leigos en­contram razões teológicas para a compreensão de sua identidade e dignidade no povo de Deus. Ma­ria é membro supereminente e de todo singular da Igreja, como seu tipo e modelo excelente na fé e na caridade” (Doe. 105 CNBB, n. 115).

  1. Acolhida

(Procissão de Entrada)

  1. Saudação Litúrgica

P.: Em nome do Pai  e do Filho e do Espírito Santo. -Amém!

P.: Ó beleza divina, que irradia sua luz que espanta as trevas e as tristezas, fazei-nos celebrar com fervor nosso encontro de irmãos na Comunidade. – Senhora e Mãe de Deus, aco­lhei-nos em vosso amor maternal e fazei-nos viver na luz de vosso Jesus. Amém!

  1. Contemplando Maria

(Entronização e incensação da Imagem. Logo após, fazem-se a contemplação e a recordação da vida que seguem. Durante a incen­sação da imagem, silêncio orante.)

P.: Maria, quando estamos unidos em Cristo na Comunidade, ouvi­mos um clamor que brota do chão de nossa pátria.

É o grito dos pobres e feridos em sua dignidade e que precisam de mãos estendidas!

L: Somos chamados, ó Maria, como cristãos, a ouvir, em qual­quer circunstância ou lugar, o grito que sai do chão, o grito dos oprimidos,

  dos que foram impedidos em seus direitos e na dignidade de filhos e filhas de Deus!

L.: Maria, vosso Filho nos en­sinou que a misericórdia sairá sempre vitoriosa, pois ela é do céu e resgata a vida ferida e de novo faz viver.

Bem-aventurados os misericor­diosos. Bem-aventurados os que acolhem com amor!

L: No coração do Pai, ó Senhora Aparecida, estão os menos favorecidos do mundo, pois Ele mesmo se fez pobre em seu Filho Jesus, nasci­do na periferia, recusado e conde­nado pelos sábios de seu tempo.

Ó Senhora e Mãe bendita, luz que nos guia na prática do bem e da justiça, amparai-nos! P.: Maria, vosso modo tão sim­ples e meigo de ser contagia-nos a abraçar, com força e fervor, as coisas do Reino do Senhor,

para que não haja mais mesa sem pão e dignidade, e todos se encantem com a beleza do céu. Amém!

Recordando a Vida e os fatos UMA PESSOA DE RAÇA NEGRA:

Havia uma multidão incontável naquele memorável dia 19 de agosto de 1978. Apinhadas nas janelas, nos gramados em volta do Santuário ou lá no alto da Pas­sarela, as pessoas contemplavam a imagem que chegava de volta para seu Santuário e para a alegria do povo. A emoção e a alegria não cabiam no coração, que transbor­dava de gratidão a Deus, que nos permitiu ver de novo a imagem tão querida e tão cheia de senti­do e significado para nossa vida. Cem mil pessoas, diziam que era pouco, ao contar os que nesse dia acolhiam a mais bela das criatu­ras: a Senhora Aparecida. Andar pelo caminho de Maria é ter a cer­teza de chegar ao céu, pois é para lá que ela nos conduz.

CRIANÇA: Mãezinha, quem poderá ficar sem a Senhora? Tudo fica mui­to triste sem vossa presença. Obrigado, Nossa Senhora Aparecida, por terdes voltado para o Santuário, vossa Casa, morada de Deus e Casa de irmãos e de irmãs. Amém.

  1. Louvores e súplicas a Maria P.: Ó Porta que nos conduz à eter­nidade, pois quem se aproxima de vós aproxima-se de Jesus, o Filho de Deus de vós nascido.

É suave vosso amor, ó Maria, e sublime vossa ternura; dai-nos alcançar a vida e a paz!

P.: Cantem nossa voz e nossos lá­bios o canto da paz e a melodia do amor, que homens e mulheres, e até os animais, compreendem. E a vida seja vitoriosa entre nós.

Sejam livres as nações da terra e a América Latina inteira e bebam da fonte eterna da paz, que é Jesus!

P.: Ó Senhora e Mãe de nossas Comunidades, tabernáculo do Se­nhor, acolhei nossa súplica, nosso louvor, nosso amor.

Ó Mãe e Senhora da Igreja, Maria, clamamos a vós!

fazei-nos fiéis a Jesus.

Firmai nossa fé, nossa esperança. Lá no céu, rogai a Deus por nós!

Ó Virgem e Rainha da paz,

Maria, clamamos a vós! ó sonho tão lindo de Deus, acendei-nos a chama da paz.

Lá no céu, rogai a Deus por nós!

Ó Santa de Deus e dos pobres. Maria, clamamos a vós!

Não falte nas mesas o pão.

O pranto dos pobres enxugai. Lá no céu, rogai a Deus por nós!

P.: Rogai por nós, ó Mãe do Cristo Libertador. Vós, que sois a Mãe da Igreja e de nossas Comunidades, fortalecei nossa união,

e jamais nos afastemos da vida de comunhão entre os irmãos. Amém!

  1. Palavra de Deus

P.: Maria, a Palavra encontrou em vós sua morada, pois vós abristes o coração

ao desejo de Deus, que nos ofertou o Redentor, Jesus, nosso Salvador!

Fazei, ó Mãe, que a Palavra fecunde profundamente a Cate­quese, nossas Comunidades e fa­mílias,

pois é por meio da Palavra que encontramos Deus, a vida, a paz e a salvação!

P.: Senhor, vossa Palavra nos revela que sois vós o Deus de amor, de mi­sericórdia e de infinita compaixão.

  Ajudai-nos, ó Maria, a acolher em cada dia tão nobre tesou­ro, a Palavra da vida e salvação. Amém!

(Acolhimento da Palavra do Senhor)

– Cântico à PALAVRA DO SENHOR

– Anúncio – Hino de louvor Ef 1,3.7-12

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos aben­çoou com toda a sorte de bênçãos espirituais, nos céus, em Cristo.

Nele temos a redenção, por meio de seu sangue, a remissão dos pe­cados, segundo a riqueza de sua

graça, pela qual Deus nos enrique­ceu de toda sabedoria e inteligên­cia, fazendo-nos conhecer o misté­rio de sua vontade, o plano benigno que ele, com antecedência, conce­bera em Cristo, para realizá-lo na plenitude dos tempos: reunir todas as coisas, – as que estão no céu e as que estão na terra – sob uma só cabeça, o Cristo. Foi nele que tam­bém fomos feitos herdeiros, tendo sido predestinados conforme o pla­no daquele que tudo realiza segun­do sua vontade, para servirmos a seu louvor e glória, nós, que já an­tes esperávamos em Cristo.

– Palavra do Senhor. Graças a Deus!

(Mensagem)

  1. Compromisso Solidário

P.: Maria, vós sois o modelo de Evangelho e de vida para a Igreja inteira. Vós nos convidais a sair de nós mesmos, de nossa mediocri­dade e comodismo

e ir ao encontro dos mais fracos e abandonados, dos mais injustiçados e oprimidos!

L.: Logo após a nobre notícia celes­tial, como a escolhida do Pai, vós fostes ao encontro de Isabel para servi-la no amor. Esse vosso gesto nos convida a desvestirmos de uma Comunidade de principado e poder para sermos uma Igreja fiel, samaritana e servidora!

L.: Abri, ó Maria, nossa mente e nosso coração para sermos evan­gelizadores encantados e encan­tadores, subindo as ruelas, os be­cos, recantos de nossas cidades e

campos, onde houver alguém cla­mando por vida.

A união do povo derruba pode­rosos de seus tronos e nos faz ser uma Igreja bem do jeito de Jesus!

P.: Precisamos, ó Maria, de vos­sas mãos santas estendidas em nossa direção, para nos guiar no caminho do Reino e nos ajudar a superar, na Igreja, o desejo de poder e de principado, para que sejamos uma Igreja humilde, ser­vidora e fiel.

Sim, ó Mãe, guiai-nos no cami­nho verdadeiro, o caminho de Jesus. E sejamos com Ele vence­dores no mundo. Amém!

(Procissão da Caridade – Oferta dos Alimentos)

  1. Por Maria a Jesus

L: Maria, vós esperais e desejais que sejamos cristãos autênticos como vós o fostes, -colocando Deus em primeiro lu­gar e com o único desejo de amar e servir!

L: Tirai do coração humano tanto egoísmo e desejo de riqueza, de poder e dominação,

  para que ele experimente a verdadeira liberdade e realização em vosso Filho Jesus!

L: Permiti, ó Mãe, que sejamos capazes de ver de novo a beleza do Reino, a beleza do amor, como aquele cego de nascença que Je­sus curou lá em Jericó.

   Abri nossos olhos para ver a realidade de nossa história e ser, aqui e agora, uma resposta de vida e de esperança. Amém!

(Acolhimento, Exposição e Adora­ção do Santíssimo)

  1. Diante de Jesus, Pão da Vida

P.: Ó Pão partido e repartido entre nós, saciai nossa sede de vida, de pão e de paz.

  Bastariam uma decisão e um pouco mais de amor, para liber­tar uma multidão de irmãos!

P.: Bastariam um pouco de pão, um pouco de peixe e muito amor, para saciar uma multidão de gente sem casa, sem pão, sem mesa, sem amor dos irmãos. Uma mão esten­dida alivia a dor de muitos irmãos.

A mão de uma multidão trans­forma a pátria e derruba podero­sos de seus tronos de ilusão!

P.: Há peixe, há pão, mas isso ain­da falta na mesa dos pobres, dos irmãos mais abandonados. A falta de partilha traz a morte e não a vida. O irmão plantou o trigo, co­lheu o grão dourado e fez o pão. Mas na hora da partilha dele se esqueceram.

  É preciso mudar o coração: o meu, o seu e o de nossa nação! Amém!

  1. Bênção do Santíssimo

(Cântico “Tão Sublime”, p. 3)

  1. Caminhando com Maria

P.: Rogai por nós, ó Senhora Apa­recida, Mestra e Guia de nossas Comunidades,

  para que sejamos dignos das promessas de Cristo!

P.: Senhora Aparecida, vós sois o dom de Jesus para a Igreja e nossas Comunidades espalhadas por todos os cantos e recantos do mun­do. Sois presença consoladora e libertadora nas horas difíceis, que se nos apresentam, como se esti­vésseis com Jesus, aos pés da cruz.

  Nossa Senhora Aparecida, Vir­gem da cor de nossa gente, ficai conosco em nossa Comunidade. Amém!

(Consagração a Nossa Senhora, p. 6)

  1. Oferta das Flores

L.: Ó Maria, não nos deixeis cair num pessimismo estéril, nem per­der o encanto de acreditar na força dos pequenos, na força da flor, que, silenciosa, deseja apenas florir e em­belezar.

Os fracos para o mundo confun­dem os fortes, pois estão perto de Deus!

L: Fazei-nos, ó Mãe bendita, acre­ditar na força revolucionária da bondade e da ternura e negar a “força” ilusória dos corruptos do poder e dos sem ética e nobreza.

  Quem sabe carregar uma flor sabe entender a nobreza da vida! L.: Ó amável e incomparável Se­nhora,  aceitai  nossa  oferta  de flores, pois vós bem o sabeis que esse nosso gesto é de gratidão por vosso imenso amor materno.

– Convosco, ó Maria, fica mais belo o dia, mais feliz a vida e nos­so coração cheio de brandura. Amém!

  1. Envio Missionário

P.: Vós, que hoje celebrastes com fervor a festa da vida e a enches­tes de alegria, espalhai, por onde passardes, a paz e a esperança.

Amém.

P.: Tende, sem cessar, em vosso coração, sentimentos profundos de confiança no Senhor e asse­melhai-vos a seu ensinamento de amor.

Amém.

P.: A você que hoje rezou e se encantou com a presença do Se­nhor e de Maria: que o caminho seja brando sob seus pés e a bri­sa da manhã sopre leve sobre sua vida… Que o sol brilhe forte, dissipe toda treva e ilumine seus caminhos… Que as chuvas caiam serenas e fecundem os campos e as florestas… O Senhor o envolva no abraço de seu amor misericor­dioso, guarde-o na palma de suas mãos, como uma criança recém–nascida, e o abençoe rica e pode­rosamente, em tudo e sempre.

  Amém! Aleluia, agora e para sempre. Amém.

(Homenagem do povo – Entrega das Flores)