Já não sou eu que vivo, é Cristo que vive em mim

293
conversão de São Paulo encontro com Cristo

A conversão de São Paulo

O encontro com Cristo no caminho de Damasco revolucionou literalmente a vida de Paulo. […] É importante que nos apercebamos de quanto Jesus Cristo pode incidir na vida de um homem e portanto também na nossa própria vida. Como acontece o encontro de um ser humano com Cristo? E em que consiste a relação que dele deriva? […] Paulo ajuda-nos a compreender o valor absolutamente fundante e insubstituível da fé.

Eis o que escreve na Carta aos Romanos: «Pois estamos convencidos de que é pela fé que o homem é justificado, independentemente das obras da Lei» (3,28). E na Carta aos Gálatas: «O homem não é justificado pelas obras da Lei, mas unicamente pela fé em Jesus Cristo; por isso, também nós acreditamos em Cristo Jesus para sermos justificados pela fé em Cristo e não pelas obras da Lei; porque pelas obras da Lei nenhuma criatura será justificada» (2,16). «Ser justificado» significa ser tornado justo, isto é, ser acolhido pela justiça misericordiosa de Deus, entrar em comunhão com Ele e, por conseguinte, poder estabelecer uma relação muito mais autêntica com todos os nossos irmãos; e isto com base no perdão total dos nossos pecados.

Pois bem, Paulo diz com muita clareza que esta condição de vida não depende das nossas eventuais boas obras, mas da mera graça de Deus: «Sem o merecerem, são justificados pela sua graça, em virtude da redenção realizada em Cristo Jesus» (Rm 3,24). Com estas palavras, São Paulo expressa o conteúdo fundamental da sua conversão, o novo rumo da sua vida que resultou do seu encontro com Cristo ressuscitado. Paulo, antes da conversão, não tinha sido um homem afastado de Deus e da sua Lei. Ao contrário, era um observante, com uma observância fiel até ao fanatismo. Mas, à luz do encontro com Cristo, compreendeu que com isso tinha procurado edificar-se a si mesmo, à sua própria justiça, e que com toda essa justiça tinha vivido para si mesmo.

Compreendeu que era absolutamente necessária uma nova orientação da sua vida. E encontramos expressa nas suas palavras esta nova orientação: «E a vida que agora tenho na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, que me amou e a Si mesmo se entregou por mim» (Gl 2,20). Por conseguinte, Paulo já não vive para si, para a sua própria justiça. Vive de Cristo e com Cristo.