O jacaré debaixo da cama

54

Certa vez, uma moça começou a dizer: “Há um jacaré debaixo da minha cama”. Ninguém acreditou.

Como persistia em falar isso, foi levada para um psicólogo. Este fez com ela um trabalho de terapia, para que tirasse da cabeça a ideia. Não adiantou.

Um dia, a moça não compareceu no consultório, na hora marcada. O psicólogo ligou para a casa dela. A Família disse: “O senhor ainda não sabe? Havia um jacaré debaixo da cama dela e este a matou!”

O primeiro passo para ajudar alguém é ouvi-lo. Isso vale também para a educação de crianças, pois elas podem ter razão em determinados comportamentos que vemos como travessuras.

“Filho, por que agiste assim conosco?” (Lc 21,48). Essa foi a primeira atitude de Maria, ao encontrar o Filho do Templo, depois de três dias de aflição por não encontrá-lo. Maria era humilde. Apesar de estar nervosa, controlou-se e procurou primeiro ouvir a criança, para saber o motivo da atitude. Mãe dos educadores, rogai por nós.