O mal vai sucumbir, as muralhas vão cair

194
crescimento espiritual

PRECISAMOS MUITO DE SUA AJUDA

Estimados irmãos venho aqui pedir a sua ajuda se possível for. Estamos com uma divida acumulada de R$ 4183,00. Pra complicar minha situação tenho pai acamado. Diante das dificuldades que todos estamos passando compreendo o qto esta difícil para todos, mas se vc tiver a possibilidade de AJUDAR COM UMA DOAÇÃO sera de muita ajuda para diminuir as dividas. . - Clique aqui para Doar

Estamos aqui para levar a você a Palavra de Deus, o batismo no Espírito Santo e uma experiência nova a cada dia.  

São Tomás de Aquino diz: “Para cada momento que nos reunimos, o Senhor tem uma unção reservada”. Existem realidades que é somente pela força da oração, somente pela graça de Deus, pela força do Espírito que nos mantemos firmes! Precisamos crescer na graça de Deus, crescer na intimidade com Ele. 

Quero começar esta pregação com uma oração que contém no livro de orações para o Cerco de Jericó: “O mal vai sucumbir, as muralhas vão cair”. O Cerco de Jericó é sempre um combate de oração, e a oração diz:

“Senhor, colocamo-nos na Tua presença como simples servos, para clamar o Teu poder e a Tua misericórdia. Perdoa-nos pelas vezes que não Te amamos acima de todas as coisas, e pelas vezes que não demos testemunho do Teu poder. Invocamos a Tua presença e a unção do Espírito Santo. Existem muralhas que só o Senhor poderá destruir. Senhor, destrua, agora, pelo poder do Teu santo nome e de Teu sangue redentor, as muralhas que tem me atrapalhado de viver como filho amado. Sou necessitado da Tua graça e do Teu poder; peço-Te, Senhor, quebra toda a ação do mal e destrói todas as barreiras que me impedem de avançar na intimidade contigo, na profundidade da santidade.” 

A certeza do nosso coração é a oração. Estamos falando sobre o combate espiritual, e eu quero lhe propor um caminho de crescimento espiritual. Você está disposto a subir um degrau na sua espiritualidade? 

 O cristão é um eterno incomodado

Nós somos chamados a crescer espiritualmente, a evoluir em nossa vida espiritual. Por isso, eu quis escrever sobre o Cerco de Jericó, pois buscamos cura, buscamos milagres, buscamos libertação, mas, principalmente, nós precisamos querer mais a Deus, precisamos querer mais intimidade com Ele. Precisamos querer, irmãos e irmãos, sair da média, sair da mediocridade! Acomodado é aquele que vive no mais o menos, que se acomodou em sua vida espiritual, acomodou-se em ser um cristão que vai à Missa quando tem vontade, aquele cristão que vive mais o menos os sacramentos. Nós, porém, somos chamados a não nos acostumarmos com a realidade, pois o cristão é um eterno incomodado, porque o Espírito sopra onde quer e nos tira da prostração, o espírito de Deus atua em nós, age em nós. No dia em que fomos batizados, nós recebemos o Espírito de Deus, nós recebemos os dons do Espírito, e a graça de Deus está em nós!

“Acaso não sabeis que sois templo de Deus, e que o espírito santo de Deus habita em vós?” (1Cor 3,16). A graça de Deus está em cada um de nós. Precisamos tomar consciência, e é por isso que o cristão não aceita as realidades do momento presente, o cristão não pode se prostrar, entregar-se.

O mal que precisa cair, que precisa sucumbir, neste momento, é o mal da incredulidade. Talvez, quando pensamos em mal, pensamos no demônio, mas o mal que precisa cair, neste tempo, é o mal da incredulidade. Buscamos Deus não pelo que Ele pode dar, mas sim pelo que Ele é, e Ele é o Senhor, é o Salvador, o Deus que morreu por nós na cruz. 

Nós precisamos nos recordar de que Jesus morreu por nós; e quando se entregou na cruz, Ele nos deu vida nova, Ele veio para que tenhamos vida, e vida em abundância (cf. Jo 10,10); e esta vida de Jesus, a qual somos chamados a experimentar, mesmo vivendo as contrariedades, mesmo passando pelas dificuldades, nós buscamos a Deus porque Ele é Deus, não por aquilo que Ele pode nos dar. 

O Senhor deu a vida por nós. Talvez, você já tenha se decepcionado com a Igreja, com algum pregador; talvez você tenha se decepcionado, porque alguém falou que você seria curado, mas você não recebeu a cura, não recebeu o milagre. O maior milagre, no entanto, é que você está vivo, o maior milagre é que Deus quer salvá-lo. O maior milagre foi Jesus nos dar uma vida nova. Essa é a verdade: o maior milagre que o Senhor realizou foi nos dar vida nova. 

O mais importante é o nosso relacionamento com Ele, é crescermos na intimidade e na fé. Deus quer nos levar a um crescimento espiritual, pois existem realidades que fogem do nosso controle. Precisamos nos apegar a Deus, ler a Sua Palavra, rezar com ela, rezar o santo terço. Se não orarmos, vamos sucumbir. Nós não podemos nos acostumar com as realidades. O cristão busca em Deus superar as dificuldades, pois o Espírito de Deus nos leva a essa retomada, leva-nos a essa busca de Deus. O Espírito Santo quer agir em nós, pois o Espírito de Deus em nós tem sede do Pai. 

Sem disciplina não há santidade

Para rezar, nós precisamos de disciplina, pois sem ela não há santidade. Oração, perseverança. Se há uma coisa que o Cerco de Jericó nos leva é à perseverança. Temos de ser perseverantes, e assim combatermos o mal. Precisamos também da vivência da Palavra de Deus, precisamos ter sede dela, ter intimidade com ela.

Confissão e Santa Missa, mesmo que, agora, seja por meios tecnológicos, precisamos buscar uma vida sacramental. Caridade para com os irmãos, perdão a eles e a si mesmo. Precisamos dar passos, precisamos fazer a nossa parte, precisamos nos perdoar. 

O Espírito Santo de Deus nos conduz a Cristo; o Espírito de Deus nos cristifica, não nos deixa fora da realidade. O Espírito de Deus plasma em nós essa experiência transformadora da graça divina, o amor a nosso Senhor Jesus Cristo, esse amor à Igreja, esse amor, esse desejo que quero despertar em seu coração.

Somos chamados a ser testemunhas 

Somos chamados a dar testemunho, no mundo, de que é possível ser de Deus, que é possível viver como homens e mulheres de Deus, que é possível vivermos como aqueles que experimentaram, no início, o batismo do Espírito Santo. Por isso, no dia de hoje, apresente a Deus a sua muralha.

Tenho, no livro, alguns pontos de reflexão para que possamos ter uma vida em Deus

  • Quem eu sou? 
  • Como eu estou? 
  • O que tenho feito da minha vida? 
  • Como tenho vivido com as pessoas? 
  • Minha vida transpira a presença de Deus ou não tenho mais evangelizado com meu testemunho? Qual cheiro eu tenho transmitido, cheiro de Deus ou cheiro do mundo? 
  • O que mais preciso fazer? Quais passos preciso dar para ser mais de Deus, mais dos irmãos, da missão? 
  • Como está minha vida sacramental? Tenho ido à Missa, tenho adorado Jesus Eucarístico? 
  • E a Palavra de Deus, como a tenho rezado?
  • Tenho buscado a confissão com frequência?
  • Quanto tempo tenho dado ao celular e às mídias sociais?
  • Quem é o centro da minha vida? Proclamo Jesus como meu Senhor e Salvador? 
  • Sou amigo do Espírito Santo?
  • Como está meu relacionamento com a Virgem Maria?
  • Sou feliz sendo católico ou vivo minha fé como sendo um peso? 
  • Tenho coragem de testemunhar que sou de Deus?
  • O que ainda me falta? 
  • Tenho crescido espiritualmente? 
  • Para onde eu vou? Qual o sentido para tudo que vivo? 
  • Tenho sede de Deus?
  • Almejo a coroa da vitória ou acho que é algo distante e nem luto por ela? 

O momento de oração é a oportunidade de crescimento espiritual e retomada. Deus quer e tem muito a realizar em nós e em todos aqueles que trazemos em nosso coração. Quantas muralhas precisam ser derrubadas em nossa vida, em nossa história e sociedade? Supliquemos a Deus para que caiam as muralhas de tantas realidades!

Deus tem reservado a nós as medalhas da nossa fidelidade a Ele, as medalhas da nossa luta pela vivência da santidade. Lutemos pelas medalhas que nos esperam no Céu, aquelas que o Senhor tem preparadas para nós. 

Padre João Marcos Polak
www.cancaonova.com