O Sentido do Advento

71
sentido do advento

O novo ano litúrgico começa com o Advento: tempo de vigilância e espera do Senhor que celebramos no Natal, um tempo de preparar nosso coração e nossa vida para o seu encontro, para que nos tornemos como um presépio vivo e, assim, ele adentre o nosso coração.

Durante os quatro Domingos do Advento, acendemos a cada domingo uma vela, à medida que vamos acendendo essas velas, a luz que é “Deus” vai iluminando as trevas e nos quer dizer que está próxima a chegada do “Salvador” que é Jesus. Essas velas são colocadas na “Coroa do Advento” em forma circular, nos recordando a nossa vida e o “Ano Litúrgico” da Igreja.

Neste tempo do Advento, temos alguns profetas que nos ajudam em nossa espiritualidade e a preparar a chegada do Senhor. No Antigo Testamento, temos Isaías que foi um grande “profeta” e sua vida se assemelha muito com a vida de Jesus. Ele era conhecido como um profeta “visionário”, ou seja, via um futuro melhor, cheio de paz para o povo de Israel e conversava diretamente com Deus, sentia a presença dele em sua vida. Recebia de modo particular as “revelações” de Deus e transmitia a vontade de Deus para o povo, para que se arrependessem e se convertessem. Era um profeta que anunciava o “Querigma”, ou seja, a Salvação e, por outro lado, a “condenação daqueles que praticavam o mal”.

Outro profeta bem conhecido de nós, que aparece no tempo do Advento, é João Batista, parente de Jesus. Ele faz a transição do Antigo para o Novo Testamento, e vem preparar o caminho para a chegada do “Salvador”. Pregava um Batismo para a conversão dos pecados. Assim como Isaías, João Batista anunciava o “Querigma”, que é o anúncio da Salvação, e denunciava quem praticava o mal. Ele pregava um Batismo para a conversão dos pecados, preparando assim o Batismo que Jesus faria com a água e o Espírito, um Batismo diferente desse que era feito por João.

 “Então Jesus veio da Galiléia ao Jordão para ser batizado por João. João, porém, tentou impedi-lo, dizendo: “Eu preciso ser batizado por ti, e tu vens a mim?”Respondeu Jesus: “Deixe assim por enquanto; convém que assim façamos, para cumprir toda a justiça”. E João concordou. Assim que Jesus foi batizado, saiu da água. Naquele momento o céu se abriu, e ele viu o Espírito de Deus descendo como pomba e pousando sobre ele. Então, uma voz dos céus disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me agrado.” (Cf Mt 3,13-17).

Ainda neste tempo do Advento, não podemos nos esquecer de outros dois personagens muito importantes, que devido ao “Sim” deles ao plano de Deus, tudo pôde acontecer. Primeiro, Maria Santíssima, Nossa Senhora, que foi agraciada, escolhida por Deus para gerar o Salvador, que disse o “Sim” que mudou a história da humanidade, mas sempre em silêncio, guardava e meditava tudo em seu coração. Não foi imposto a ela aceitar conceber o filho de Deus, mas de livre e espontânea vontade aceita. O segundo personagem é José, que era justo e fiel à Lei de Deus. Num primeiro momento, fica atordoado com toda a situação e, por um momento, decide abandonar Maria em segredo. Mas através de um “sonho”, o anjo pede pra ele acolher Maria consigo pois, o filho que ela espera é o Messias, o “Filho de Deus”. José então, faz conforme o anjo lhe orientou e acolhe Maria e o filho que ela espera consigo. Por meio desse “Sim” silencioso de José, também mudou a história da humanidade.

A cada Domingo do Advento, vamos descobrindo um pouco mais desses personagens bíblicos. Sempre na leitura do Antigo Testamento, vamos ver Isaías e do Novo Testamento João Batista, Maria e José. Vamos descobrindo, pouco a pouco, o sentido de estarmos celebrando o Advento e o Natal e quanto tempo o povo de Israel esperou por sua “salvação”. Mas a promessa de Deus nunca se esgota, nunca falha, sempre se cumpre, assim foi com o povo de Israel e assim será sempre conosco. 

Portanto, é esse o sentido desse tempo do advento que possamos ser um pouco parecidos com esses personagens bíblicos que mudaram a história da humanidade. Que com o nosso “Sim” aos planos de Deus na nossa vida, também possamos mudar a nossa história e daqueles que nos cercam. Que possamos preparar bem a nossa vida e o nosso coração para a chegada do Salvador, que ele encontre espaço aonde nascer, em meio tantos planos e projetos que muitas vezes colocamos a frente de Deus.

Que estejamos com as lâmpadas acesas, orantes e vigilantes esperando o Senhor chegar.  

Orani João, Cardeal Tempesta, O. Cist.

Arcebispo Metropolitano de São Sebastiao do Rio de Janeiro, RJ