Para o melhor amigo, o melhor

1112
Amar o próximo

Certa vez, um homem telefonou do serviço, logo cedo, para a sua esposa e disse: “Fulana, hoje eu vou levar um amigo para almoçar conosco, certo?” Ela: “Tudo bem, pode trazer”.

Aquela senhora deixou logo de lado o que estava fazendo e foi preparar o almoço. Fez aquela comida gostosa. Ao meio dia, o marido apareceu sozinho. Na mesa estava um verdadeiro banquete. Ela disse: “Onde está o seu amigo?” Ele a abraçou e disse: “Desculpe, querida, eu menti. É que hoje eu estava com uma vontade louca de comer algo diferente. Por isso que inventei essa história”.

Que chato, não? Para uma pessoa de fora, aquela mulher prepara pratos gostosas. Já para o esposo, que é seu melhor amigo, é aquela comidinha de sempre. É nessas pequenas coisas do dia-a-dia que mostramos o tamanho do nosso amor. Aquela senhora certamente não colocava nas refeições que preparava aquele tempero fundamental: o amor. Se colocasse, com certeza prepararia comidas melhores e variadas para o marido. Em casa, não dá para fingir, e a verdade do nosso coração aparece. Em casa, o nosso amor é provado como o ouro na fornalha.

No fundo, aquela esposo não mentiu, porque o maior amigo dela é ele mesmo, que merecia, pelo menos de vez em quando, comer algo diferente. Nós precisamos ser fiéis a Deus Pai, que quer que os esposos se amem muito. Ela deve amar o seu marido acima de todos os amigos, e vice versa. Vamos renovar a nossa maneira de amar as pessoas mais próximas de nós.