Solenidade da natividade de São João Batista

157
natividade de São João Batista

PRECISAMOS MUITO DE SUA AJUDA

Estimados irmãos venho aqui pedir a sua ajuda se possível for. Estamos com uma divida acumulada de R$ 4183,00. Pra complicar minha situação tenho pai acamado. Diante das dificuldades que todos estamos passando compreendo o qto esta difícil para todos, mas se vc tiver a possibilidade de AJUDAR COM UMA DOAÇÃO sera de muita ajuda para diminuir as dividas. . - Clique aqui para Doar

“A ‘humildade de João constitui o seu maior mérito; ele poderia enganar os homens, passar por Cristo, ser visto como Cristo, tão grandes eram a sua graça e a sua virtude, e contudo declara abertamente: «Eu não sou Cristo. – És Elias? […] – Não sou Elias» (Jo 1,20-21)’” (Santo Agostinho)

Dia 24 de junho, celebramos solenemente a Natividade de São João Batista em que “anuncia a chegada dos tempos messiânicos, nos quais a esterilidade se tornará fecundidade e o mutismo, exuberância profética” (cf. Missal Dominical – Missal da Assembleia Cristã).

Tal celebração nos enfatiza a preparação do caminho de Deus, pois “houve um homem enviado por Deus: o seu nome era João. Veio dar testemunho da luz e preparar para o Senhor um povo bem disposto a recebê-Lo” (cf. Antífona da Entrada). Assim, com nascimento de João Batista, retoma a identidade do Profeta, justaposta por Deus, afirmada no livro profeta Isaías: “Não basta seres meu Servo para restaurar as tribos de Jacó e reconduzir os remanescentes de Israel: eu te farei luz das nações, para que minha salvação chegue até os confins da terra” (cf. Is. 49, 6).

Portanto, a missão vai além do aceitar o que foi predestinado, mas, sim, testemunhar a mensagem de salvação. Porém sem méritos pra si, afinal “somos como o barro na mão do oleiro” (cf. Jr 18, 6) e, nas palavras do próprio São João Batista: “Eu não sou aquele que pensais que eu seja! Mas vede: depois de mim vem aquele, do qual nem mereço desamarrar as sandálias” (cf. At 13, 25b – d).

E, o Evangelho(cf. Lc 1,57-66.80), relata a escolha do nome profético de João – “Deus é cheio de graça” ou “a graça e misericórdia de Deus” – em que Isabel e Zacarias rejubilam de ter um filho na velhice e daquela que era considerável estéril. A graça e misericórdia de Deus é vivenciada por aquele que foi escolhido para anunciar a vinda do Salvador, afinal “ele era a voz, uma voz que dá testemunho da Palavra, indica a Palavra, o Verbo de Deus, a Palavra. Ele era o pregador da penitência que batizava, o batista” (Papa Francisco).

Ó Deus, que suscitastes São João Batista, a fim de preparar para o Senhor um povo perfeito, concedei à vossa Igreja as alegrias espirituais e dirigi nossos passos no caminho da salvação e da paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Amém!

São João Batista, rogai por nós!         Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Saudações em Cristo!       

Dom Eurico dos Santos Veloso

Arcebispo Emérito de Juiz de Fora, MG