União com Deus

407

Quarta-feira da quarta semana da Quaresma

Jesus respondeu aos judeus: “Meu pai está trabalhando até agora, então eu estou no trabalho.” Por esta razão eles tentaram ainda mais matá-lo, porque ele não só quebrou o sábado, mas ele também chamou Deus de seu próprio pai, fazendo ele mesmo igual a Deus. João 5, 17-18

Jesus era claramente culpado de pecados graves na opinião daqueles que procuravam matá-lo. Ele não seguiu as leis do Sábado da maneira que eles achavam que deveria e revelou que Ele era igual ao Pai. Isso seria um pecado grave da parte de Jesus se Ele estivesse errado, mas obviamente Ele não estava.

No coração dessa passagem está a unidade do Pai e do Filho. Os versos que seguem esta passagem revelam ainda mais claramente que o Pai e o Filho são um e que toda a vida de Jesus é arrebatada no cumprimento da vontade do Pai. É precisamente essa unidade de vontade que produz sua unidade.

Isso nos revela muito sobre o relacionamento do Pai e do Filho, e também revela muito sobre o nosso relacionamento com o Pai e o Filho. Primeiro de tudo, o Pai e o Filho são pessoas distintas, cada uma possuindo um perfeito intelecto e vontade. No entanto, sua unidade surgiu pelo fato de que suas mentes estavam em perfeita harmonia, conhecendo todas as coisas igualmente, e acreditando perfeitamente no que elas sabem. Como resultado de seu perfeito conhecimento compartilhado, ambos abraçaram todos os detalhes do plano do Pai, tal como foi estabelecido desde a fundação do mundo.

Quanto a nós, podemos tirar desta compreensão da unidade do Pai e do Filho, a lição gloriosa sobre como entramos em unidade com Deus. Isso acontece primeiro buscando a mente de Deus. Devemos sondar os gloriosos mistérios contidos nele e torná-los nosso próprio conhecimento. Em segundo lugar, devemos acreditar no que chegamos a conhecer através de um ato de nossa vontade. Quando descobrimos a verdade, devemos escolhê-la para nossas vidas. O desafio é que existem numerosas vozes concorrentes disputando nossa atenção. Quando os classificamos, escolhendo apenas aquilo que Deus revela, naturalmente nos sentimos atraídos pela mente e vontade de Deus e os tornamos nossos. Neste ato também nos tornamos um com Deus.

Reflita, hoje, sobre a unidade, você é chamado a viver com o Pai e o Filho. É essa união que traz satisfação à sua vida. É para o que você foi feito. Buscar, acreditar e abraçar qualquer outra coisa é simplesmente viver de uma mentira. Busque a mente e a vontade de Deus em todas as coisas e todo o seu ser será atraído para uma maior unidade com Deus.

Pai Celestial, agradeço-te pelo dom de Jesus, teu Filho, e agradeço-te pela unidade que ambos partilham. Traga-me para aquela gloriosa unidade estabelecida por suas mentes e vontades. Faze-me uno contigo, para que também tu sejas meu Pai. Pai no céu, Jesus o filho, eu confio em você.